Governo SP

Jovem acusa dois policiais militares de estupro em Praia Grande

Segundo a vítima, o ataque sexual ocorreu dentro de uma viatura; os PMs negam o crime

Comentar
Compartilhar
13 JUN 2019Por Gilmar Alves Jr.16h44
O caso foi registrado na Delegacia de Praia GrandeFoto: Arquivo/DL

Um cozinheira de 18 anos acusa dois soldados da Polícia Militar de estupro em uma viatura, em Praia Grande, no final da noite de quarta-feira (12). Os policiais, de 26 e 29 anos, são lotados, respectivamente, em batalhões em São Bernardo do Campo e na capital paulista, e estavam atuando em Praia Grande pela Diária Especial por Jornada de Trabalho Militar (Dejem). Eles negam o crime. 

A jovem foi para a casa do sogro após o suposto estupro e relatou a acusação. O homem acionou a Polícia Militar e a cozinheira foi levada de ambulância inicialmente para o Hospital da Mulher, no Centro de São Vicente, e depois ao Hospital Municipal, onde foram ministrados antirretrovirais para prevenção de doenças sexualmente transmissíveis. 

Ela também foi submetida a exames no Instituto Médico-Legal (IML) de Santos antes de comparecer à Delegacia de Praia Grande, onde o caso foi registrado. Na repartição, os PMs entregaram o celular da jovem, que disseram que ela esquecera na viatura. As investigações vão prosseguir na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) e pela Polícia Militar, por meio de um inquérito interno. 

Em nota, a PM disse que busca, na apuração, prova testemunhais, bem como verificação de imagens de videomonitoramento da Prefeitura de Praia Grande e do Litoral Plaza Shopping, onde os patrulheiros estavam quando teriam sido acionados pela jovem, que teria buscado auxílio por ser seguida por um criminoso. A cozinheira foi levada por eles até o Terminal Tude Bastos. 

"A viatura da Polícia Militar utilizada no serviço operacional dos patrulheiros será periciada para a verificação de possíveis vestígios suspeitos", informou a PM. 

Colunas

Contraponto