Homem que clonava cartões é preso em PG

De acordo com a Polícia Civil, o acusado causou um prejuízo para as vítimas de, no mínimo, R$ 100 mil

Comentar
Compartilhar
17 JAN 201510h21

Apontado como um dos principais estelionatários da Baixada Santista, um comerciante de 40 anos foi preso pela Polícia Civil na última quinta-feira, na Vila Mirim, em Praia Grande. Na casa do acusado, policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Santos apreenderam farto material relacionado à clonagem de cartões bancários.

Segundo a polícia, o acusado trocava máquinas de cartões de estabelecimentos comerciais, mediante suborno de funcionários, e captava dados e senha. Em cartões brancos, conhecidos nos meios policiais como “gasparzinhos”, o homem inseria os dados da vítima e depois fazia a venda dos “gasparzinhos”, por valor abaixo do limite de crédito para atrair compradores.

A polícia estima que o prejuízo causado pelo acusado para as vítimas seja de no mínimo R$ 100 mil, em cerca de somente um mês de atuação.

As investigações prosseguem objetivando identificar e responsabilizar criminalmente as pessoas que autorizaram a troca de máquinas de cartões em estabelecimentos e as pessoas que se beneficiaram com a compra usando os cartões clonados.

Notebooks apreendidos com o acusado têm software para aplicação de golpes (Foto: Divulgação)

A prisão

O comerciante foi surpreendido pelos investigadores, chefiados por Paulo Carvalhal e pelos delegados Bruno Mateo Lázaro e Luiz Ricardo de Lara Dias Júnior, por volta das 12 horas de quinta-feira.

Ao chegarem à casa, na Rua Nove de Julho, os policiais vasculharam uma mochila, onde encontraram diversos cartões, pendrives e um notebook. O homem logo confessou a prática dos golpes.

Em revista no imóvel mais três notebooks foram apreendidos, todos com software para a aplicação dos golpes e captação dos dados de clientes de bancos. Uma máquina e um leitor de cartões também foram encontrados.