Homem esconde cocaína em maço de cigarros e é preso em Ilhabela

Suspeito de tráfico deixou papelotes contendo o entorpecente escondidos dentro de lata de lixo, mas foi localizado e preso pela Polícia Militar

Comentar
Compartilhar
20 AGO 2019Por LG Rodrigues12h47
Policiais Militares prenderam suspeito de traficar drogas em Ilha BelaFoto: Divulgação/Polícia Militar

Um homem foi preso por suspeita de envolvimento com o tráfico de drogas na madrugada deste domingo (19) no município de Ilhabela, que fica a 100km de distância de Bertioga. Segundo informações da Polícia Militar, equipes da PM efetuaram a abordagem após o rapaz ter sido avistado em atitude suspeita no bairro Perequê. Ele foi reconhecido pelos agentes e confessou que realizava tráfico na região.

De acordo com as autoridades, uma equipe do 20º Batalhão de Polícia Militar do Interior fazia um patrulhamento de rotina pelo Perequê, bairro que fica na região central do município, quando se deparou com o indivíduo em atitude suspeita perto de um posto de gasolina.

Os policiais perceberam que o homem possuía as mesmas características de um indivíduo que havia sido denunciado anteriormente por ser um dos responsáveis pelo tráfico de drogas em Ilhabela. Durante a abordagem, as autoridades encontraram com ele oito papelotes contendo cocaína e a quantia de R$ 239,00 em dinheiro trocado totalizando 13 notas.

Ainda durante buscas realizadas nos arredores, os policiais também encontraram um maço de cigarros que continha mais 17 papelotes de cocaína. Para tentar esconder a droga restante, o suspeito deixou o maço dentro de uma lixeira próxima de onde ele estacionou a própria motocicleta.

Durante o interrogatório, o suspeito confessou que realiza a prática de tráfico de drogas e ainda confirmou aos policiais que ele costumava comprar os entorpecentes em São Sebastião antes de atravessar para Ilhabela, onde ele revende o material ilícito. Com todos os elementos reunidos e apurados, as autoridades deram voz de prisão ao homem, que foi conduzido ao Distrito Policial, onde permaneceu à disposição da Justiça.

Colunas

Contraponto