CAMPANHA DE 1 A 11

Homem confessa furto de celular e diz que após a venda pagou prostituta em Santos

O crime, em um posto ao lado do Palácio da Polícia, foi flagrado por câmera de monitoramento (veja vídeo); o autor ainda disse que tomou cachaça e comprou drogas com o dinheiro obtido com o furto

Comentar
Compartilhar
27 FEV 2020Por Gilmar Alves Jr.18h13
Momento em que o autor do furto subtrai celular de frentista em balcão interno de escritório de postoFoto: Reprodução

Investigadores do 1º Distrito Policial de Santos esclareceram o furto do celular de um frentista, em um posto de combustíveis ao lado Palácio da Polícia, e localizaram e indiciaram o autor: um homem de 35 anos, que confessou o crime informalmente.

As informações sobre a investigação e as imagens de monitoramento que auxiliaram no esclarecimento do furto foram divulgadas com exclusividade ao Diário do Litoral.

Ao admitir o delito, segundo a polícia, o homem disse que com o dinheiro arrecadado com a venda do celular após o furto, na noite de 17 de janeiro, tomou cachaça, comprou drogas e fez programa com uma prostituta no Centro de Santos.

O acusado foi localizado e indiciado no dia 6 de fevereiro pela equipe do delegado Max Pilotto, titular do distrito, e do investigador-chefe, Rodrigo Lima.

Durante as investigações, antes de chegarem à identidade do acusado, os policiais obtiveram a numeração da placa do carro em que ele estava como passageiro no posto.

Pelas imagens de monitoramento do estabelecimento, situado na Rua São Francisco, 142, os policiais apuraram que enquanto o carro era abastecido, tendo uma mulher como motorista, o autor foi até o escritório do estabelecimento, que estava fechado, e sem ninguém perceber, subtraiu o celular do frentista, que estava sobre a mochila do trabalhador.

Com a aproximação das imagens, os policiais apuraram a placa do GM Montana Sport preto, modelo 2010, e foram ao endereço do proprietário, no Jardim 31 de Março, em Cubatão, onde o ouviram. Ele disse que o carro era dirigido naquele posto pela sua mulher.

No dia 6 de fevereiro, a mulher compareceu ao distrito policial e disse que não sabia que o passageiro, que presta serviços para ela como ajudante, tinha furtado o celular.

Ela diz que quando parou para abastecer o ajudante disse que iria ao banheiro e quando retornou foram embora, sem ele nada declarar sobre o crime.

Com a mulher, os investigadores Marcos Roberto e Marcos Prado identificaram o nome do autor do delito e localizaram o na casa dele, no Jardim 31 de Março.

O acusado responderá pelo furto em liberdade. Ele tem antecedentes por porte de entorpecente e ameaça.

“Perdeu”

O frentista disse que ao chegar em casa e perceber que tinha sido furtado, em 17 de janeiro, percebeu que o autor do furto tinha mandado um áudio para a mulher dele dizendo “perdeu”. Logo depois, o aparelho subtraído foi desligado.