Funcionário do Santos FC é preso preventivamente sob acusação de estupro de jovem atleta

Clovis Aparecido Vesco, de 61 anos, teve a ordem de prisão decretada pela 4ª Vara Criminal de Santos a pedido do Ministério Público Estadual (MPE)

Comentar
Compartilhar
18 JUN 2019Por Gilmar Alves Jr.17h12
Clovis Aparecido Vesco foi preso em Lindóia e levado à cadeia anexa ao 5º DP de Santos (Bom Retiro)Foto: Reprodução/Facebook

Funcionário do Santos Futebol Clube, o auxiliar de enfermagem e massagista Clovis Aparecido Vesco, de 61 anos, foi preso preventivamente, em Lindóia, nesta segunda-feira (17), sob a acusação de ter estuprado um jovem atleta em Santos. A vítima atualmente tem 16 anos, já teve intenção de ingressar na base do Santos, e chegou a residir com Vesco.

A ordem de prisão foi decretada pela 4ª Vara Criminal de Santos a pedido do Ministério Público Estadual (MPE), que, para formular o pedido, se baseou nas investigações da delegada Fernanda dos Santos Sousa, titular da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) da cidade. A delegada indiciou Vesco em dois inquéritos. A prisão preventiva se refere somente ao caso da vítima hoje com 16 anos.

O outro caso em que Vesco foi indiciado é de um jovem atleta hoje com 14 anos, que no final do ano passado veio a Santos com intenção de ingressar nas categorias de base do Santos Futebol Clube.

À polícia, o menino afirma que ficou sonolento após tomar um suco oferecido por Vesco, em 6 de dezembro, e foi estuprado na sequência.

Após o suposto crime, o garoto retornou para Lindóia, onde reside e relatou o caso aos pais, que procuraram a Polícia Civil para registro da ocorrência.

Defesa
O advogado de Vesco, Eduardo Roberto Leite Filho, afirma que "a defesa nega todas as acusações que estão sendo feitas e deixa de se manifestar sobre mais detalhes porque o processo corre em segredo de Justiça, pois envolve menores de idade.

"A acusação que está sendo feita é descabida", declarou. 

Santos FC
Por meio de nota, o Santos Futebol Clube afirmou que a prisão cautelar de Clovis Vesco, vinculado ao futebol profissional, "não guarda qualquer relação com suas atividades desempenhadas no Santos Futebol Clube desde 2010".

"Tendo em vista que há investigações em curso, envolvendo fatos repugnantes, coloca-se o Santos Futebol Clube à disposição das autoridades para colaborar com o que se fizer necessário", disse o clube. 

Outro funcionário

Em 6 de junho, o funcionário do Santos Futebol Clube Alexsander Lopes Rodrigues, de 47 anos, foi preso devido a uma condenação, em segunda instância, a 16 anos e nove meses de prisão, pelo estupro de uma enteada em 2009.

A sentença condenatória transitou em julgado neste ano e foi determinado o mandado de prisão, que foi cumprido por policiais do Grupo de Operações Especiais (GOE) de Santos na Chácara Nicolau Moran, de propriedade do Santos Futebol Clube, em São Bernardo do Campo. 

À época com 14 anos, a vítima disse que Alexsander a estuprou e antes de consumar o crime disse que, caso não fizesse o que ele queria, iria abusar das três irmãs mais novas dela. O caso ocorreu em Mauá, na Grande São Paulo.

Colunas

Contraponto