Funcionário da padaria A Santista preso por furto obtém liberdade provisória

Ele foi solto após uma audiência de custódia; foi imposta a condição de comparecimento bimestral em juízo para justificar suas atividades

Comentar
Compartilhar
27 OUT 2020Por Da Reportagem17h26
Funcionário trabalhava no local há 10 anosFoto: Nair Bueno/DL

O funcionário da padaria A Santista detido por furto ao próprio estabelecimento, na noite de sábado (24), obteve a liberdade provisória em audiência de custódia no Fórum de Santos, que aconteceu no último domingo (25).

Informações sobre a audiência foram divulgadas pela assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) nesta terça-feira (27) a pedido do Diário do Litoral. 

O acusado, segundo o Tribunal, foi assistido pela Defensoria e obteve a liberdade provisória mediante condições de comparecer a cada dois meses em juízo para justificar suas atividades, sob pena de revogação do seu benefício.

O caso

O homem, de 51 anos, e funcionário da padaria A Santista há cerca de 10 foi preso acusado de furtar mercadorias do próprio estabelecimento. Policiais militares estavam em patrulhamento quando foram acionados para atender a ocorrência no local e foram informados de que o funcionário já vinha praticando pequenos furtos na padaria.

O flagrante aconteceu quando o funcionário deixava o local. Ele levava consigo um pacote de farofa, um pacote de queijo ralado, uma farinha de tapioca e uma peça de queijo por debaixo das roupas.

Em razão disso, foi dada voz de prisão ao homem. Ele foi conduzido à Central de Polícia Judiciária (CPJ) e autuado em flagrante por furto qualificado.