Banner gripe

Recém-formado em medicina cultivava maconha em república

Apartamento no bairro do Boqueirão era utilizado para cultivo e venda de maconha em Santos.

Comentar
Compartilhar
10 NOV 201210h07

Um médico recém-formado pelo Centro Universitário Lusíada (Unilus) cultivava maconha e comercializava a erva, na república que residia com mais três colegas, no Boqueirão, em Santos. Ele comprava sementes de maconha em um site internacional, realizando o cultivo em seu quarto.

No apartamento que o médico morava na Avenida Siqueira Campos, investigadores do 3º DP (Ponta da Praia) com respaldo de mandado de busca e apreensão, recolheram, na manhã de ontem, três pés de maconha, 15 copos plásticos contendo sementes da erva, dois potes com maconha, além de um cd de instruções de cultivo e preparo do tóxico. 

Grande parte dos objetos estava no quarto, que ainda continha uma estufa utilizada para o aquecimento das mudas e sementes da erva.

O flagrante, que ocorreu por volta das 7h, sob o comando do chefe dos investigadores, Marcelo Mendes, foi realizado pelos policiais Marcelo Ferreira e Mário José Granzoto.

Segundo Pereira, as investigações começaram após a delegacia receber uma denúncia anônima. “Tínhamos a informação que estudantes de Medicina estavam utilizando e cultivando maconha. Após a denúncia, começamos as investigações para identificar o fornecedor dos entorpecentes, culminando na apreensão”.

Ainda de acordo com o investigador, a denúncia indicava que universitários iam até a república para adquirir entorpecentes. 

O médico negou essa informação, afirmando que os objetos encontrados no imóvel eram de uso próprio, confessando a propriedade dos entorpecentes.

Após o flagrante ser registrado no 3º DP, o acusado teve com destino à carceragem pública anexa ao 5º DP, no Bom Retiro.

Colunas

Contraponto