Em novo atentado, grupo atira em delegacia em Santa Catarina

Na madrugada deste domingo (3), um grupo fez cinco disparos contra a delegacia do 1º Batalhão da Polícia Militar de Itajaí, no litoral norte do estado

Comentar
Compartilhar
03 MAR 201315h53

Mais um atentado foi registrado no estado de Santa Catarina. Na madrugada deste domingo, às 3h50, um grupo de homens fez cinco disparos contra a delegacia do 1º Batalhão da Polícia Militar de Itajaí, no litoral norte do estado. Os tiros acertaram a parede da delegacia. Não houve feridos. Com a ocorrência, o número de atentados soma 114.

De acordo com o relatório de ocorrências da Polícia Militar de Santa Catarina, os homens estavam em um Ford Fiesta sedã prateado. Eles entraram na contramão e efetuaram os disparos. A polícia realizou rondas pela região, mas não conseguiu encontrar os responsáveis.

Na tarde desta sexta-feira (1), em Criciúma, foi preso em flagrante, durante revista, Fernando Rosevelt da Silva, o Boquinha, considerado líder do Primeiro Grupo Catarinense (PGC)  na cidade e suspeito de ser um dos responsáveis pela articulação dos atentados na região sul do estado.

Neste domingo (3), o grupo criminoso completa 10 anos. Investigações feitas antes do início da onda de violência no estado, no dia 30 de janeiro, indicavam a possibilidade de ataques nesse período. A PM diz que está preparada e que não há necessidade de reforços. Até o momento não foram registradas ocorrências de atentados.

Os atos violentos em Santa Catarina estão acontecendo desde o dia 30 de janeiro e já somam 114 ocorrências (Foto: Agência Brasil)

Também neste domingo, quatro cidades catarinenses têm eleições para prefeito e vice-prefeito. Ao todo, 163 mil eleitores votarão nas cidades de Balneário Rincão (9.773), Campo Erê (7.154), Criciúma (139.474) e Tangará (7.009). Nessas cidades – atualmente comandadas pelos presidentes das respectivas câmaras de Vereadores – as eleições de outubro foram anuladas porque os candidatos com mais de 50% dos votos válidos tiveram os registros de candidaturas rejeitados pela Justiça Eleitoral, em julgamento posterior ao pleito.

A PM diz que nesses locais a segurança foi reforçada devido ao pleito eleitoral. De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina, as eleições ocorrem dentro da normalidade, sem casos de violência ou problemas técnicos.