Em 30 horas, cinco suspeitos são mortos pela PM na zona norte de SP

O caso mais recente foi no bairro da Casa Verde, palco de uma perseguição policial que resultou na morte de um homem na madrugada desta segunda-feira

Comentar
Compartilhar
02 MAR 201511h51

Cinco suspeitos morreram em confrontos com policiais militares na zona norte da capital paulista em um intervalo de cerca de 30 horas. O caso mais recente foi no bairro da Casa Verde, palco de uma perseguição policial que resultou na morte de um homem na madrugada desta segunda-feira, 2. Na noite do sábado, 28, outras quatro pessoas morreram em duas ocorrências diferentes na região do Jaçanã.

Segundo a Polícia Militar, oficiais suspeitaram de duas motocicletas na Avenida Engenheiro Caetano Álvares, na Casa Verde, por volta da 1h35 desta segunda-feira. Ao menos uma delas seria roubada. Cada veículo era ocupado por dois suspeitos, que teriam desobedecido a ordem de parada dada pelos policiais.

Uma das duplas conseguiu fugir durante a perseguição, mas a outra sofreu uma queda na altura da Avenida Imirim. Houve troca de tiros e um dos suspeitos, Alexandre Silva, de 19 anos, acabou atingido. Ele morreu no local. Ferida, a outra pessoa foi levada ao Pronto-Socorro da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, no centro da cidade.

Jaçanã

Às 20h45 do sábado, o empacotador Lucas Vinícius Pereira da Silva, de 17 anos, e um homem que ainda não foi identificado também foram mortos a tiros por policiais militares. De acordo com a Polícia Civil, os dois estavam em um Fiat Palio, de cor vermelha, que havia sido roubado no dia anterior.

Um terceiro suspeito também estava no carro, mas se atirou do veículo na Rua Domingos de Abreu, na região do Jaçanã, ainda em meio à perseguição. Segundo a Polícia Civil, o trio teria tentado fugir após perceber que uma viatura da PM se aproximava.

O carro foi encontrado pelos policiais abandonado e com todas as portas abertas na Rua Alvorada D’Oeste. Nessa rua, Silva foi visto correndo com uma arma na mão e acabou seguido por um dos agentes, segundo afirma a Polícia Civil. O outro homem estava escondido em uma caçamba, mas também foi encontrado pelos PMs.

A versão da Polícia Militar é a mesma para as duas mortes: os suspeitos atiraram e, no revide, acabaram baleados. Foram apreendidos dois revólveres calibre 38, que pertenceriam aos suspeitos, além de uma garrucha de cano duplo, encontrada no carro, e as pistolas usadas pelos policiais.

Outro caso

Cerca de três horas depois, mais duas pessoas morreram em troca de tiros com policiais a menos de dois quilômetros do lugar da primeira ocorrência. Segundo a PM, houve um acompanhamento por volta das 23h35 na Travessa Berredo, também no Jaçanã, a dois suspeitos de terem assaltado um restaurante.

A dupla teria atirado e os policiais, revidado, diz a PM. No confronto, os dois foram atingidos e precisaram ser socorridos ao Hospital Padre Bento, em Guarulhos, na Grande São Paulo. Os suspeitos, no entanto, não resistiram aos ferimentos. Um revólver calibre 38, com duas balas deflagradas, foi apreendido pelos policiais.

A ação da PM foi contestada por moradores da região, que chegaram a bloquear a Rodovia Fernão Dias com barricadas e usaram até uma carreta para atravessar a pista. Os casos do Jaçanã serão investigados pelo Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP).