Dono de restaurante, mulher e outras duas pessoas são feitos reféns em Santos

O estabelecimento e prédio ao lado, onde mora o comerciante, foram invadidos pelos bandidos na Aparecida; uma das reféns chegou a ser levada a Cubatão

Comentar
Compartilhar
08 MAI 2017Por Gilmar Alves Jr.20h13
O caso foi registrado na Central de Polícia Judiciária (CPJ)O caso foi registrado na Central de Polícia Judiciária (CPJ)Foto: Matheus Tagé/DL

O dono de um restaurante na Rua Alexandre Martins, em Santos, a mulher dele e outras duas pessoas foram mantidos reféns em um assalto cometido por um trio na noite de domingo (7). Foram invadidos o prédio onde mora o comerciante e a demais vítimas e também o restaurante, que fica ao lado.

Ao final do assalto, uma das moradoras do prédio, de 23 anos, foi levada em seu carro pelos bandidos até Cubatão, onde foi mantida refém até o final da madrugada desta segunda-feira (8). Quando a jovem foi libertada, o carro, um Fiat Punto vermelho, foi deixado com ela, que retornou a Santos dirigindo.

A jovem foi a primeira a ser rendida no assalto, iniciado às 21h30. Ela chegava de uma farmácia quando foi dominada pelo trio, que a levou até seu apartamento, e ficaram à espera do comerciante, de 68 anos, principal alvo do assalto.

Quando ele entrou no prédio e foi ao apartamento de uma vizinha, de 51 anos, ambos foram rendidos. Os bandidos na sequência levaram as vítimas para o apartamento do comerciante, no andar superior, e renderam a mulher dele, que estava dormindo.

Dois dos bandidos seguiram com o comerciante, a mulher dele e a jovem para o restaurante e no local se apoderaram de dinheiro, televisores e outros objetos.

Assim que se subtraíram os bens, os ladrões retornaram ao apartamento do comerciante e  amarraram as vítimas, com exceção da jovem. Eles disseram que ela seria mantida refém por 40 minutos e fugiram levando ainda televisores, joias e outros objetos do apartamento.

Nenhuma das vítimas ficou ferida. Até a noite de ontem, os bandidos ainda não tinham sido presos.

Registrado na Central de Polícia Judiciária (CPJ), o caso será investigado pelo 3º Distrito Policial (Ponta da Praia).