Delegado volta para Dise após nove meses

Francisco Garrido Fernandes, que estava lotado no 2º DP de Santos, retorna ao comando da especializada

Comentar
Compartilhar
09 OUT 201310h22

Uma mudança no quadro policial da Baixada Santista que deverá ser anunciada ainda nesta semana pode ser um sinal de correção de curso. Em janeiro, quando foi anunciada a mudança do comando do Departamento de Polícia Judiciária do Interior (Deinter-6), uma delegacia especializada sofreu a alteração mais brusca no quadro policial que abrange a Baixada Santista e Vale do Ribeira.

Aldo Galiano Júnior assumiu a diretoria do Deinter-6 em janeiro e anunciou que o então delegado titular da Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes (Dise) de Santos, Francisco Garrido Fernandes, e sua equipe seriam transferidos para o 2º Distrito Policial (DP) de Santos, no Jabaquara.

No lugar de Garrido, o delegado Fábio Guimarães, que atuava no Departamento de Investigações sobre Narcóticos (Denarc), na Capital, assumiu a titularidade da Dise. Na época, Galiano Junior afirmou ao Diário do Litoral que a mudança visava “atacar o varejo de drogas”.

A alteração de comando na Dise chamou atenção do quadro policial lotado no Deinter-6. Garrido era considerado um delegado atuante, que combatia o tráfico diariamente, realizando diversos flagrantes durante a semana.

“O pessoal que veio de São Paulo não se acostumou com a maneira de trabalho aqui”, afirma o diretor do Deinter-6, Aldo Galiano Júnior (Foto: Matheus Tagé/DL)

 

Garrido e sua equipe assumiram o 2º DP e fizeram diversos flagrantes em sua área de abrangência. Em maio, durante uma operação, policiais chefiados por Garrido capturaram um rapaz apontado como chefe do tráfico de drogas no Morro do Jabaquara. No flagrante, 12 quilos de maconha foram recolhidos das ruas.

Anteriormente, Garrido já havia realizado a prisão de um envolvido com a comercialização de entorpecentes, e apreendido mais de 30 quilos de maconha.

No mesmo período de trabalho, a nova equipe da Dise realizou poucos flagrantes e apreensões. Policiais do Deinter-6 ouvidos pelo DL afirmavam que a Dise permanecia de portas fechadas e que a nova equipe não havia se enquadrado na forma de atuação da especializada.

‘Conhece a região’

Na tarde de ontem, o DL ouviu Galiano Júnior. “O pessoal que veio de São Paulo não se acostumou com a maneira de trabalho aqui. Eles querem voltar para a Capital. O Garrido fazia um bom trabalho e vai fazer. Ele conhece a região e o combate ao tráfico requer um pessoal especializado, que tenha esse conhecimento”, explica o diretor do Deinter-6.

Com a mudança no comando, a equipe do delegado Fábio Guimarães passa a integrar o quadro policial da Delegacia da Infância e Juventude (Diju) no Jabaquara em Santos. “Enquanto isso, eles aguardam a mudança na Diju”, pontua Galiano Júnior.