Deic apreende 28 quilos de cocaína do PCC e detém motorista de caminhão em Guarujá

Caminhão estava fora da rota para entrega de carga de celulose

Comentar
Compartilhar
27 MAI 2021Por Gilmar Alves Jr.18h40
Momento da abordagem, que ocorreu na região da Cônego Domênico RangoniMomento da abordagem, que ocorreu na região da Cônego Domênico RangoniFoto: Divulgação/Polícia Civil

Investigando desvios e roubos de carga policiais civis de Santos chegaram a 28 quilos de cocaína em um caminhão na Rodovia Cônego Domênico, em Vicente de Carvalho, e prenderam o motorista, de 31 anos, em flagrante por tráfico de drogas. A droga, escondida em um contêiner com celulose, pertencia ao Primeiro Comando da Capital (PCC) e seria exportada, segundo apontam as investigações.

O flagrante ocorreu por volta das 11 horas desta quarta-feira (26), em diligência que foi coordenada pelo delegado Luiz Ricardo de Lara Dias Júnior, titular da 1ª Delegacia da Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic) regional e pelo investigador-chefe, Paulo Carvalhal.

Já era de conhecimento dos policiais civis que um ponto na rodovia, na Vila Áurea, é usado por criminosos para desvio, transbordo e subtração dos produtos transportados.

Ao chegarem ao local, por volta das 11h, os investigadores perceberam que um caminhão branco carregado com um contêiner começou a se movimentar. Foi feito o acompanhamento do veículo até a abordagem, em condições seguras.

Vinte e sete tabletes de cocaína foram apreendidos (Divulgação/Polícia Civil)

Durante a abordagem, o motorista afirmou que transportava carga de papel sulfite, mas negou que estivesse parado às margens da rodovia. Diante da falsa informação, os policiais iniciaram uma inspeção nos documentos e no caminhão. Constataram que a carga tinha como destino um terminal e que o caminhão estava completamente fora de rota.

Ao verificarem a ausência do lacre no fecho do contêiner o abriram e encontraram logo na primeira fileira cinco caixas de papelão contendo 27 tabletes de cocaína. Já na cabine foi encontrado um lacre intacto, que provavelmente seria colocado em momento posterior, depois que as drogas já tivessem sido entregues aos destinatários.

Autuado pelo delegado Leonardo Amorim Nunes Rivau, o motorista foi recolhido à cadeia anexa ao 1° DP de Guarujá.