De novo? De novo! Comitê de Blitze encerra festa com 300 pessoas

Agentes encontraram pessoas aglomeradas em um bar no bairro Cidade Patriarca

Comentar
Compartilhar
24 JUN 2021Por Da Reportagem12h10
Festa clandestina foi encontrada por agentes durante blitzeFesta clandestina foi encontrada por agentes durante blitzeFoto: Divulgação / Secretaria de Comunicação de São Paulo

O Comitê de Blitze do Governo do Estado e da Prefeitura de São Paulo encerrou uma festa clandestina com a participação de 304 pessoas em um bar, localizado na Rua Antônio Estevão de Carvalho, Cidade Patriarca. A ação foi realizada entre a noite de quarta-feira (23) e madrugada de quinta-feira (24) pelo Grupo Armado de Repressão a Roubos (Garra), do Departamento de Operações Especiais de Polícia (Dope), em conjunto com a Polícia Militar e órgãos fiscalizadores do município.

Os agentes receberam uma denúncia anônima e no local encontraram pessoas aglomeradas, em desacordo com as exigências sanitárias. Quatro pessoas foram encaminhadas para delegacia, sendo que uma delas autuada por ter cometido desacato contra um delegado que participava da blitz. Foram apreendidas 42 máquinas de crédito e débito, dois mixers, um receptor de som e um laptop. O caso foi encaminhado para o DPPC (Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania), onde foi registrado um boletim de ocorrência de descumprimento de medida sanitária e desacato.

COMITÊ.
Criado no dia 12 de março, em parceria com a Prefeitura de São Paulo, o Comitê de Blitze tem como objetivo reforçar as fiscalizações e o cumprimento das medidas restritivas da fase emergencial e evitar a propagação do coronavírus.

Integram o Comitê agentes da Guarda Civil Metropolitana e da Covisa (Coordenadoria da Vigilância Sanitária) pela Prefeitura de São Paulo. Pelo Governo do Estado, atuam profissionais da Vigilância Sanitária, Procon e das Polícias Civil e Militar.

Qualquer pessoa pode denunciar festas clandestinas e funcionamento irregular de serviços não essenciais pelo telefone 0800-771-3541 e também no site www.procon.sp.gov.br ou pelo e-mail [email protected], do Centro de Vigilância Sanitária.