Conselho Tutelar resgata adolescente e quatro crianças vítimas de maus-tratos em Mongaguá

As cinco vítimas, de 13, 11, oito, seis e um ano, foram encontradas sozinhas, com ferimentos e piolhos, em casa na Avenida Arpoador

Comentar
Compartilhar
18 SET 2020Por Gilmar Alves Jr.19h28
O caso foi registrado na Delegacia Sede de Mongaguá como abandono de incapaz e maus-tratosFoto: Reprodução/Google Maps

Uma denúncia anônima levou o Conselho Tutelar a resgatar quatro irmãos e uma prima vítimas de maus-tratos e abandono em uma casa na Avenida Arpoador, em Mongaguá, nesta quinta-feira (17). As vítimas apresentavam feridas nos corpos e piolhos.

Os resgatados irmãos são um menino de 13 anos, uma menina de oito, uma de seis e uma de um ano. A prima tem 11 anos. O adolescente disse inicialmente ao Conselho Tutelar que a avó, de 53 anos, havia saído para procurar uma casa. Na sequência, relatou que ela havia ido à praia, em Itanhaém. A mulher será investigada pela Polícia Civil.

De acordo com a análise feita pelo Conselho na casa, as condições são de insalubridade. O imóvel fica no bairro Jussara. As vítimas foram levadas para o Hospital Infantil, onde ao final das consultas um médico relatou, por escrito, que as crianças apresentavam doenças compatíveis com maus-tratos.

O caso foi levado para a Delegacia Sede de Mongaguá, que registrou a ocorrência como abandono de incapaz e maus-tratos. Foram expedidas requisições para exames no Instituto Médico-Legal (IML).

O crime de abandono de incapaz prevê pena de detenção de seis meses a três anos - se o abandono resulta lesão corporal de natureza grave passa a ser de reclusão, de um a cinco anos.

Já o crime de maus-tratos tem pena de detenção de dois meses a um ano, ou multa - se do fato resulta lesão corporal de natureza grave passa a ser de reclusão, de um a quatro anos.