Cinco são detidos por arrastão nas praias do Itararé e do Gonzaguinha, em São Vicente

Policiais militares em várias viaturas fizeram um cerco para capturar os acusados

Comentar
Compartilhar
11 SET 2019Por Gilmar Alves Jr.17h47
Praia do Gonzaguinha, na foto, e a Praia do Itararé foram alvos do bando na tarde de terça-feira (10)Foto: Nair Bueno/Diário do Litoral

Dois adultos e três adolescentes foram detidos em flagrante na tarde de terça-feira (10) por um arrastão nas praias do Itararé e Gonzaguinha, em São Vicente.  Após as capturas, por volta das 16h10, vítimas fizeram reconhecimentos dos detidos na praia do Gonzaguinha e no plantão da Delegacia Sede de São Vicente. Não houve feridos.

Para realizar a detenção do bando, policiais militares fizeram um cerco na Praia do Gonzaguinha com várias viaturas. As informações eram de que os ladrões abordavam as vítimas mediante graves ameaças para subtrair pertences e, na sequência, seguiam para o ataque a outras vítimas.

Com o bando, os PMs apreenderam uma aliança de ouro de uma vítima não identificada. Os prejuízos das vítimas identificadas foram quatro celulares e uma correntinha de ouro, que não foram localizados.

Dos cinco homens relacionados como vítimas no registro da ocorrência, quatro são de Carapicuíba, na Grande São Paulo, e um é da capital paulista.

Entre os detidos, dois adultos e dois adolescentes são da Vila Margarida, em São Vicente, e um adolescente é da Vila Mirim, em Praia Grande.

Preventivas

Ao registrar o flagrante, o delegado titular de São Vicente, Luís Carlos Cunha, representou pelas prisões preventivas do adultos. “O crime de roubo traz, por si só, grande desassosego à sociedade, ainda mais cometido com a qualificadora da pluralidade de criminosos e a violência empregada pelos autores”.

Os dois adultos foram autuados pelos roubos e por corrupção de menores, enquanto os adolescentes foram enquadrados em atos infracionais de roubos, sendo colocados à disposição da Vara da Infância e da Juventude.

As investigações prosseguem para identificar mais vítimas dos detidos.

 

 

 

Colunas

Contraponto