Central de golpes contra clientes do Santander é descoberta em apartamento no Boa Vista, em SV

No momento em que era abordada, uma das quatro pessoas presas ousou dizer a investigador que o local se tratava, de fato, de “uma central de relacionamento do Banco Santander”; veja vídeo

Comentar
Compartilhar
05 AGO 2020Por Gilmar Alves Jr.16h28
O local tinha baias usadas em call center e "operava" em horário comercialFoto: Divulgação/Polícia Civil

De dentro de um apartamento na Rua Freitas Guimarães, 567, no Boa Vista, em São Vicente, uma central criminosa  que simulava telemarketing do Banco Santander, operada por ao menos quatro pessoas, lesava correntistas em fraudes mediante oferecimento de falsos créditos. Um link de acesso era enviado e assim que a vítima acessava os estelionatários copiavam os dados bancários, subtraindo valores das contas. Conforme estima a Polícia Civil, o esquema criminoso já causou prejuízos as vítimas, na Baixada Santista, de ao menos R$ 300 mil.

O esquema foi desarticulado por volta das 13h desta terça-feira (4) em uma ação de policiais da 1ª Delegacia da Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic) da Baixada Santista. Foram presos no apartamento um empresário de 36 anos, apontado como chefe do escritório do crime, e três operadoras profissionais de telemarketing, de 34, 23 e 39 anos.

O local funcionava com baias típicas de call center, conforme constatou a equipe do delegado Luiz Ricardo de Lara Dias Júnior, titular da 1ª Delegacia, e do investigador-chefe, Paulo Carvalhal. Nos computadores havia dados precisos de clientes do Santander.

No momento em que era abordada, uma das acusadas ousou dizer a um investigador que o local se tratava, de fato, de “uma central de relacionamento do Banco Santander”. Ela confirmou que tinha uma série de dados do clientes e que atuava no local em horário comercial, das 9h às 17h.

 

                                

 

Uma equipe de perícia do Instituto de Criminalística (IC) foi acionada para o local, sendo apreendidos sete laptops, três fones de ouvido usados nos computadores, dois modens de 4G, dois cadernos com anotações e três celulares, entre outros objetos. Exames iniciais sobre os golpes foram realizados por uma perita no próprio local.

Confissão

Informalmente, segundo a polícia, duas acusadas confessaram que sabiam da condição criminosa daquela atividade, atribuindo a necessidade de trabalhar como motivação para o delito. Elas disseram que recebiam 10% de cada quantia subtraída de vítima.

O responsável pelo escritório, ainda segundo elas, ficava com 15%. O relato leva os investigadores a entenderem que há mais pessoas no esquema com funções superiores na organização criminosa.

As quatro pessoas detidas foram autuadas em flagrante por estelionato e por integrar organização criminosa. O homem foi recolhido à carceragem da Delegacia Sede de São Vicente, enquanto as três mulheres foram encaminhadas à cadeia feminina anexa ao 2° DP de São Vicente (Cidade Náutica).

Golpe constante

Um representante do Banco Santander compareceu nesta segunda à 1ª Delegacia do Deic e afirmou que as quatro pessoas presas na ação não possuem relação com o banco. Segundo ele, esse tipo de golpe, com utilização inclusive do logotipo do Santander, é “constante, causando prejuízo moral à instituição financeira e a clientes vítimas”.

 

Posicionamento do banco

Em nota, o Santander informou que nunca entra em contato via telefone com os clientes solicitando senhas, assinatura eletrônica, códigos de acesso ou outras informações pessoais.

"O banco investe continuamente em campanhas educativas, em seus vários canais de relacionamento e comunicação, oferecendo dicas e orientações de segurança", afirma.

Confira as orientações: 

·         Ligação suspeita? O Banco nunca liga solicitando senhas, tokes, validação ou foto/vídeo do QR Code;

·         Nunca responda e-mails ou telefonemas que peçam seus dados bancários, como número de conta, agência e senhas. Procure utilizar sempre seu computador pessoal para transações bancárias e compras. Computadores públicos ou desconhecidos podem estar infectados com vírus e programas maliciosos;

·         Nunca clique nos links ou arquivos recebidos em e-mails ou mensagens instantâneas não solicitadas. Eles podem instalar programas maliciosos que capturam dados, como número de cartão de crédito e senhas;

·         Habilitação Indevida ID: Nunca entramos em contato solicitando uma nova habilitação, validação ou atualização do seu ID Santander. Nunca solicitaremos foto ou vídeo do QR Code, nunca compartilhe com ninguém;

·         Ao fazer pagamento de boletos sempre confira todos os dados do cedente, como valor, nome, CPF ou CNPJ;

·         Perda/Roubo: Comunique imediatamente a central de atendimento nos casos de perda ou roubo do cartão, celular ou cheque. Nos casos de cartões, também é possível cancelar o cartão no app Way.