Caso Romazzini: Ex-vice prefeito é absolvido

Manoel Ramos dos Santos, o Maneco, foi inocentado por falta de provas.

Comentar
Compartilhar
20 JAN 201312h43

A juíza da 1ª Vara Criminal do Guarujá, Denise Gomes Bezerra Mota, absolveu na noite de sexta-feira, o ex vice-prefeito Manoel Ramos dos Santos, o Maneco, e o ambulante Juliano da Silva, pela morte do vereador Luís Carlos Romazzini, na madrugada de 26 de novembro de 2010.

De acordo com a juíza, Maneco e Juliano foram absolvidos devido à falta de provas que comprovassem, de forma concreta, a participação deles no crime.

Em sua decisão, Denise condenou a 23 anos e quatro meses de reclusão o réu Marlon Furtado Portela, acusado de ser o responsável pelos disparos que mataram Romazzini.

A Reportagem do Diário do Litoral apurou, de forma exclusiva, em 23 de novembro de 2012, que o MP havia pedido a condenação apenas de Marlon, o único que respondia ao processo cumprindo prisão preventiva. Ele havia sido indiciado e capturado pela Polícia Civil durante a fase de inquérito.

Um adolescente também foi capturado durante as investigações. Ele admitiu ter participado do delito e cumpre medida socioeducativa na Fundação Casa.

Luis Carlos Romazzini fo morto à tiros em sua casa no anos de 2010 (Foto: Arquivo/DL)

O menor afirmou que foi convidado por Marlon para assaltar a casa de Romazzini, pois, segundo ele, informação indicou que existiam R$ 26 mil provenientes de verba de campanha na moradia. O MP acredita que essa quantia, que não estava no imóvel, de fato motivou a investida criminosa.

Após invadirem a residência, os acusados se depararam com uma reação de Romazzini, que estava armado. Cinco tiros foram disparados contra ele. Na fuga, uma Honda Biz do parlamentar foi subtraída, sendo abandonada na Avenida Santos Dumont.