Cai o número de roubos, furtos e Estado chega ao menor índice histórico de homicídios

A redução nas taxas decorre da redução de 12,8% dos homicídios em janeiro deste ano em comparação com o mesmo mês em 2014 (de 422 para 368 casos)

Comentar
Compartilhar
24 FEV 201514h17

Os roubos e furtos em geral e de veículos iniciaram o ano em queda de 11,5%, com 10.842 crimes a menos em janeiro. A soma destes quatro indicadores criminais aponta um total de 83.402 ocorrências, contra 94.244 em janeiro de 2014.

Isoladamente, os quatro índices também apresentaram redução em janeiro. O número de casos de roubos outros, que excluem a subtração de veículos, diminuiu 4,1% em janeiro deste ano, em comparação com o mesmo mês de 2014. Ao todo, foram 1.107 ocorrências a menos, de 26.987 para 25.880.

Os furtos em geral, que não incluem os veículos, caíram 15,3% em comparação a janeiro de 2014. O total passou de 47.771 para 40.473 registros – o segundo menor número da série histórica. O ano de 2001 teve 37.213 casos.

Os roubos de veículos caíram pelo oitavo mês consecutivo. O total, que era de 9.221 casos no primeiro mês do ano passado, chegou a 7.486 ocorrências em janeiro de 2015. A redução representa 18,8%. O número de casos é o menor desde 2012, quando houve 6.429.

Com 702 registros a menos, os furtos de veículos também caíram (6,8%) em janeiro, passando de 10.265 para 9.563 delitos.

Os furtos de veículos também caíram (6,8%) em janeiro, passando de 10.265 para 9.563 delitos (Foto: Divulgação)

Os latrocínios continuam em queda no Estado pelo terceiro mês consecutivo. A diminuição em janeiro foi de 5,88%, com 32 casos ante 34. Para a série histórica do mês, a quantidade é a menor desde 2012, quando o mês de janeiro registrou 21 casos.

As extorsões mediante sequestro caíram, nos últimos 12 meses, em 20% - de 50 para 40 casos.

Os casos de estupro tiveram queda de 9,6% em janeiro deste ano, com 88 casos a menos. Foram contabilizadas 830 ocorrências, ante 918 no mesmo mês de 2014. O indicador caiu em 20 dos últimos 21 meses.

Proteção à vida

Em relação aos homicídios, pela primeira vez na série histórica, a taxa de ocorrências por grupo de 100 mil habitantes ficou abaixo dos dois dígitos: 9,85. O ano passado terminou com um índice de 10,06 casos por igual grupo, que é o valor mais baixo da série histórica para um ano todo. A taxa máxima recomendada pela Organização das Nações Unidas (ONU) é de 10 homicídios por grupo de 100 mil habitantes. Se levados em conta somente os 31 dias de janeiro, a taxa foi de 0,85 – em 2014, era de 0,99 por 100 mil habitantes.

A redução nas taxas decorre da redução de 12,8% dos homicídios em janeiro deste ano em comparação com o mesmo mês em 2014 (de 422 para 368 casos). O dado representa a 17ª queda do indicador nos últimos 22 meses. O número de vítimas de mortes intencionais recuou 13,4%, chegando a 387 óbitos, ante 447.