Cabo da PM é morto ao alimentar cães de rua em São Vicente

Ele dava ração aos animais no Japuí quando foi abordado por dois criminosos em uma motocicleta; o ocupante da garupa desceu e realizou os disparos

Comentar
Compartilhar
27 ABR 2018Por Gilmar Alves Jr.17h39
O cabo Wiverson de Farias estava no 5º ano de DireitoFoto: Reprodução/Facebook

O cabo da Polícia Militar e quintanista de Direito Wiverson de Farias, de 46 anos, foi morto a tiros na noite de quinta-feira (26) enquanto alimentava cães no Japuí, em São Vicente. Nada foi roubado e o caso foi registrado pela Polícia Civil como homicídio qualificado, por ser cometido contra agente de segurança.

O policial tinha saído da faculdade – Unisanta, em Santos – e seguia no sentido de Praia Grande, onde morava, quando como de costume parou sua moto para alimentar os animais, juntamente com um colega de curso.

De acordo com o registro da ocorrência, dois homens chegaram em uma moto e o ocupante da garupa desceu já apontando a arma para o cabo. O policial ainda tentou se afastar, segundo o registro, mas foi baleado no tórax e no abdômen. Mesmo caído, o PM ainda realizou disparos.

Farias foi socorrido ao Hospital Municipal de São Vicente, onde faleceu.

A polícia fez diligências em hospitais na região para averiguar se houve entrada de homens com ferimentos com armas de fogo, mas não houve casos após o crime.

Investigação

Dará apoio à investigação da Polícia Civil o Departamento de PM Vítima, da Corregedoria da corporação.

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, o novo comandante da PM no Estado, coronel Marcelo Vieira Salles, definiu o caso em São Vicente como um "episódio trágico" e disse que o Departamento de PM Vítima tem um índice de esclarecimento de 80%.

"Eles (Farias e o colega) compravam um saco de ração, vinham em alguns pontos e davam ração para os cachorros de rua. Esse amigo dele foi pegar um pouco de água no posto de gasolina e o Faria foi colocar a ração para o cão, para fazer essa boa ação, esse cuidado (quando o crime ocorreu)", disse Vieira Salles.

Farias era casado e deixa um filho. "Estamos dando toda a assistência. É uma tristeza", declarou o coronel.

Informações que ajudem a identificar os autores do crime podem ser transmitidas pelo telefone 181 (Disque-Denúncia). Não é necessário se identificar.

Universidade

A Universidade Santa Cecília (Unisanta) informou, em nota, que lamenta  profundamente a morte do aluno.

"Solidários com sua família e amigos neste momento de dor, elevamos nossas preces e vibrações pelo querido Wiverson, na certeza de que ele continuará sua trajetória de luz e amor, junto ao Altíssimo", disse a universidade.

Pelo Facebook, uma professora de Direito da Unisanta disse estar "completamente devastada".

Ela escreveu que alimentar cães de rua era o que policial mais gostava. "Um homem doce, inteligente, esforçado (...) que no final das aulas sempre vinha bater papo comigo", afirmou.

Em seu perfil no Facebook, o policial fazia postagens sobre cães abandonados para adoção (Foto: Reprodução/Facebook)

Postagens sobre cães

Em seu perfil no Facebook, o policial fazia postagens sobre cães abandonados para adoção.

"Essa cadelinha precisa de ajuda, pois deu à luz a 7 filhotes no Terminal Rodoviário Tático, em Praia Grande", escreveu o policial em 18 de fevereiro.