Bruno, pela primeira vez, admite a morte de Eliza Samúdio

De acordo com o ex-goleiro, ela foi enforcada, esquartejada e teve o corpo jogado para os cães

Comentar
Compartilhar
06 MAR 201317h37

Nesta quarta-feira (6). em depoimento no Fórum de Contagem, em Minas Gerais, o ex-goleiro do Flamengo disse que o amigo Luiz Henrique Romão, o Macarrão, ajudou a matar a modelo Eliza Samudio em 2010. Bruno, acusado de ser o mandante do crime, relatou que Eliza foi enforcada e em seguida, ela teve o corpo esquartejado e jogado para os cachorros. Mas disse saber do acontecido pois Jorge Luiz Rosa, o primo que era menor na época, revelou a informação para ele.

De acordo com o goleiro, o primo contou que Macarrão deixou Eliza perto do Estádio do Mineirão, parou para conversar com alguém pelo telefone e que uma moto apareceu. Bruno disse que o carro seguiu e ela foi entregue numa casa para um homem conhecido como Neném, que perguntou se ela era usuária de drogas. Ele pediu que Macarrão amarrasse a mão dela, e ela foi enforcada, depois teve o corpo esquartejado e jogado para os cachorros.

O réu negou ser o mandante da morte da modelo Eliza Samudio, mas declarou que se sentia culpado. E chorou quando falou que transou só uma vez com Eliza.

Bruno chorou quando disse que só transou uma vez com Eliza e que sonhava em ter um filho (Foto: Estadão Conteúdo)