Baixada terá divisão de homicídios em abril

O diretor da Polícia Civil, Aldo Galiano Júnior, quer esclarecimentos de casos com mais rapidez

Comentar
Compartilhar
11 MAR 201310h47

O Departamento de Polícia Judiciária do Interior-6 (Deinter-6), que abrange a Baixada Santista e Vale do Ribeira, terá, a partir de abril, uma divisão especializada em homicídios. A informação foi antecipada, com exclusividade ao Diário do Litoral, pelo diretor do Deinter-6, Aldo Galiano Júnior. A criação da divisão, segundo ele, tem como principal objetivo esclarecer homicídios com mais rapidez. Um perito fixo deve acompanhar os casos.

Em entrevista concedida ao DL em 10 de janeiro, em seu primeiro dia no comando do Deinter-6, Galiano Júnior já havia revelado o desejo de criar a divisão. O delegado ressaltou que a investigação de homicídio exige dedicação. “A cada dia que você não esclarece, fica mais complicado de solucionar”.

A nova divisão terá forma de atuação semelhante ao Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHHP) de São Paulo, cujas atribuições são investigações de delitos praticados contra a vida, lesões corporais, tentativas de homicídios e latrocínios (roubos seguidos de morte).

Galiano Júnior - O diretor do Deinter-6 ressaltou que a investigação de assassinatos exige dedicação (Foto: Matheus Tagé/ DL)

Galiano Júnior disse que aguarda a formação de delegados de 1ª e 2ª classe, em treinamento na academia da Polícia Civil, para dar início aos trabalhos da nova divisão. “Em meados de abril a divisão já estará trabalhando”, afirma. De acordo com o diretor, com a chegada de novos policiais não será necessária a deslocação de delegados lotados em outros distritos para assumirem cargos na nova divisão.

A divisão será instalada no Palácio da Polícia Civil, na Avenida São Francisco, no Centro de Santos.

Perícias

Galiano Júnior informou que pretende estabelecer uma parceria com a Polícia Cientifica, responsável pela realização das perícias médico-legais e criminalísticas do Estado de São Paulo. “Quero colocar um perito fixo para atuar com o pessoal da divisão. Estou conversando com o pessoal da Polícia Cientifica nesse objetivo. Tendo esse perito fixo, fica mais fácil realizar trabalhos de reconstituição, preparação de laudos, entre outros trabalhos”, assinala.

Delegacias da Mulher

As delegacias de defesa da mulher da Baixada terão reforço em abril, conforme anunciou Galiano Júnior. “Vou trazer quatro delegadas (que estão em formação na academia). Há 10 anos, as mesmas delegadas estão lotadas nessas delegacias. Vamos fazer um rodízio”, pontua.

Especialização - Atuação da divisão de homicídios será nos moldes do DHPP  da capital paulista (Foto: Arquivo/ DL)