Baixada Santista e Vale do Ribeira recebem 88 novas viaturas da PM

Do total, 87 são para policiamento ostensivo e preventivo; há também um caminhão autobomba para o Corpo de Bombeiros

Comentar
Compartilhar
09 DEZ 2019Por Da Reportagem19h58
A entrega ocorreu nesta segunda-feira (9)Foto: Divulgação/Polícia Militar

O Governo de São Paulo entregou, nesta segunda-feira (9), 88 viaturas para reforçar a frota da Polícia Militar para a Baixada Santista e Vale do Ribeira. Do total, há um caminhão destinado ao Corpo de Bombeiros. 

A entrega faz parte de um pacote de investimento de, aproximadamente, R$ 100 milhões para aquisição de 1.820 veículos para todo o Estado, afirma a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP). 

Para as atividades de polícia ostensiva e preventiva, foram destinadas 87 viaturas adquiridas por meio de uma licitação aberta no segundo semestre do ano. Do total dos veículos, 42 são carros do modelo GM/Spin e 21 Gol, além de 24 motocicletas Honda/XRE. 

A outra viatura é um caminhão auto bomba destinado ao Corpo de Bombeiros. 

Ele foi adquirido pela secretaria, juntamente com outros 11 veículos, por meio de um investimento total de R$ 7 milhões. A nova frota será distribuída para toda a região da Baixada e do Vale, de Bertioga até Barra do Turvo. 

Estado

Do total de viaturas entregues para todo o Estado, 1.806 foram adquiridas por meio de licitação que totalizou um investimento de R$ 86,8 
milhões. 

As outras 14 viaturas são caminhões destinados ao Corpo de Bombeiros para auxiliar nos trabalhos de resgate e combate a incêndios. Destes, 12 são auto bomba e somaram um investimento de R$ 7 milhões, ainda segundo a SSP. 

Não é a primeira vez no ano que a PM conta com um reforço deste nível, segundo a pasta. 

"Anteriormente, a instituição recebeu 1.888 veículos, sendo 62 para o Corpo de Bombeiros, por meio de um investimento de R$ 137 milhões. Além disso, 152 carros foram entregues pela Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (Sima) à Polícia Militar Ambiental pelo valor de R$ 16,8 milhões", afirma a SSP.