Aposentado é detido após perseguir empregada doméstica e mostrar órgão genital na Ponta da Praia

A vítima fez uma fotografia do carro do acusado, um Voyage branco 1995, e a enviou para uma investigadora; após pesquisa, o aposentado foi detido pela Polícia Civil em casa

Comentar
Compartilhar
21 MAR 2017Por Gilmar Alves Jr.19h28
Vítima tirou uma foto do carro do acusado e enviou para uma investigadora da Polícia CivilVítima tirou uma foto do carro do acusado e enviou para uma investigadora da Polícia CivilFoto: Reprodução

Um aposentado de 63 anos foi detido na noite de segunda-feira (20) após perseguir uma empregada doméstica e mostrar seu órgão genital a ela na Ponta da Praia, em Santos. Uma foto do carro do acusado feita pela vítima possibilitou à Polícia Civil chegar ao endereço dele para a detenção. Uma investigação vai apurar se o acusado cometeu mais casos do gênero.

A doméstica caminhava pela esquina da Rua Rei Alberto I com a Avenida General San Martin quando notou que o acusado estava a perseguindo de carro, por volta das 18h. O homem parou o carro mais à frente e, quando a vítima passou, ele a chamou e estava com o órgão genital exposto, segundo ela.

Assustada, a mulher entrou em um supermercado, saiu pela Avenida Saldanha da Gama (Orla) e foi até um ponto de ônibus, onde o carro branco, um Voyage 1995, voltou a seguir na direção dela. A vítima então tirou uma foto do carro e embarcou em um ônibus para fugir do aposentado.A fotografia foi enviada pela vítima a uma investigadora do 2º Distrito Policial de Santos (Jabaquara). 

Placa

Com a fotografia do carro, na qual é possível ver a placa do carro, policiais do 2º DP apuraram o endereço do suspeito, na Rua Egydio Martins, na Ponta da Praia, e para lá se dirigiram.

O automóvel foi encontrado pelos investigadores Cleiton Costa, Larissa Bissoli e Antônio Tadeu Côrtes em frente à casa do aposentado. Os investigadores questionaram se o homem havia saído com o carro naquela noite e ele negou, mas a temperatura do motor do veículo já indicava que a versão do homem era falsa.

Uma fotografia do aposentado foi enviada para a doméstica, que o reconheceu prontamente. A ação policial foi feita sob o comando do investigador Alexandre Ventura e do delegado Carlos Henrique Fogolin de Souza, titular do 2º DP.

O homem foi indiciado por ato obsceno consumado e liberado. A pena varia de três meses a um ano ou multa.

A investigação da conduta do aposentado, que não tinha antecedentes criminais, prosseguirá na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Santos.