Após denúncia anônima, sequestrado pelo PCC é salvo de assassinato em Itanhaém

Policiais civis libertaram a vítima na manhã de quarta-feira (18)

Comentar
Compartilhar
19 SET 2019Por Gilmar Alves Jr.19h21
O crime foi descoberto por investigadores do 1º DP de Itanhaém (foto), que prenderam dois acusados em flagranteFoto: Reprodução/Google Maps

Um rapaz de 21 anos que era mantido refém por integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC) e estava na iminência de ser assassinado no Jardim Oásis, em Itanhaém, foi libertado por policiais civis, na manhã de quarta-feira (18), após uma denúncia anônima. Dois homens foram presos. A vítima teria sido sequestrada por suspeita de integrar uma facção rival. 

A denúncia indicou que o sequestro estava em andamento nas imediações de um campo de futebol e imediatamente investigadores do 1º Distrito Policial de Itanhaém se deslocaram para o local. 

Por volta das 10h40 os policiais chegaram à casa onde o crime ocorria, que fica nos fundos do campo e é parcialmente coberta por vegetação. 

Com a aproximação dos policiais, um homem que estava abaixado junto à porta de acesso à casa correu para os fundos e escapou pela mata. 

A vítima foi encontrada em um sofá com as mãos e os pés amarrados. Ferido, o rapaz se queixava de dor e afirmou que fora sequestrado na véspera, passando a noite naquele local e sendo agredido com pedaços de pau pelos criminosos. 

O rapaz ainda afirmou que estava na iminência de ser morto por ser apontado pelos criminosos como integrante de facção rival. 

A vítima foi socorrida para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e policiais conseguiram localizar dois acusados pelo crime, de 19 e 29 anos, nas imediações. Eles foram reconhecidos como autores, mas negam envolvimento. 

Os detidos foram autuados por sequestro, tortura e lesão corporal.

Colunas

Contraponto