Após ameaças pela internet, escola amanhece vazia em Itanhaém

Mensagem enviada por um autor anônimo avisava que alunos e professores poderiam ser vítimas caso comparecessem à unidade educacional

Comentar
Compartilhar
09 SET 2019Por LG Rodrigues12h45
Mensagem alertava alunos sobre a possibilidade de um ataque em ItanhaémFoto: Reprodução / Facebook

Ameaças feitas pelas redes sociais levaram estudantes de uma escola municipal de Itanhaém a não comparecer às aulas no começo da manhã desta segunda-feira (9). De acordo com a administração municipal, um perfil anônimo enviou mensagens na página oficial da unidade educacional no Facebook e para os alunos dizendo que eles seriam vítimas de algum tipo de ataque. A mensagem enviada continha ainda um emoticon de uma arma e de um giroflex similar ao de uso policial.

As ameaças começaram durante o fim da primeira semana de setembro. Pelas redes sociais, diversos alunos compartilharam a mesma imagem de uma mensagem enviada por um usuário desconhecido e que dizia que o autor ‘estava de olho’ nos estudantes da Escola Municipal Eugênia Pitta Rangel Veloso.

Ainda durante o sábado, o perfil oficial da escola emitiu um comunicado dizendo que os responsáveis pela unidade educacional já estavam cientes do ocorrido e que tanto alunos, quanto professores e outros funcionários também receberam as mesmas mensagens. A nota emitida pela escola completava dizendo que todas as medidas cabíveis estavam sendo tomadas para garantir a segurança de todos.

Apesar disso, os alunos decidiram não ir para a escola, que amanheceu vazia. A unidade atende crianças e adolescentes que estão na faixa etária que compreende desde o 1° até o 9º ano do ensino fundamental.

Unidades da Guarda Civil Municipal foram destacadas para realizar a segurança da escola durante toda a manhã mesmo após terem verificado que nenhum aluno compareceu para atender ao dia letivo. Em contrapartida, alguns familiares marcaram presença para conversar com a direção.

Por telefone e e-mail, o Diário do Litoral foi informado pela prefeitura de Itanháem que a administração municipal acionou a Polícia Civil, que investiga o caso, enquanto determinou as medidas de segurança preventivas realizadas pela GCM na escola assim que foi avisada sobre as ameaças. Até o momento, ninguém foi preso e nenhum suspeito foi identificado pelas autoridades.

Colunas

Contraponto