Ameaças levam pai a atirar no próprio filho

Dependente químico exigia R$ 3 mil. Ele ameaçou matar a família.

Comentar
Compartilhar
17 JAN 201310h04

Após ameaçar a própria família de morte mediante extorsão, na noite de terça-feira (15), um dependente químico de 32 anos foi baleado pelo próprio pai. Os fatos aconteceram em um prédio na Avenida Presidente Wilson, na Pompeia, em Santos.

V.M.J. invadiu o prédio onde residem seus familiares no mesmo dia em que deixou uma clínica de reabilitação. Pouco antes das 20 horas, ele estilhaçou uma janela do apartamento da família e disse, por diversas vezes, que entraria no imóvel para matar o pai, a mãe e a irmã. Enquanto fazia as ameaças, o jovem exigia R$ 3 mil. Essa quantia já havia sido pedida por V.M.J. em telefonemas realizados poucas horas antes da invasão do edifício.

Temendo a integridade física da família, o aposentado pegou um revólver de calibre 38 e, inicialmente, realizou dois disparos para o alto. Diante da continuidade da agressividade do filho, o pai decidiu baleá-lo em uma das pernas.

V.M.J. foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o Pronto-Socorro Central, onde foi medicado.

Orla - Edifício onde os fatos ocorreram fica na Avenida Presidente Wilson, 68, na Pompéia, em Santos. (Foto: Luiz Torres/ DL)

Temor

Os familiares do dependente químico relataram à Polícia Civil que V.M.J. tem um histórico de violência motivado por sua dependência química. Eles narraram temor pela rotineira agressividade do familiar e disseram que V.M.J. já havia agido violentamente contra todos eles em outras ocasiões.

Flagrante

Após ser medicado no Pronto-Socorro Central, V.M.J. foi conduzido para a Central de Polícia Judiciária (CPJ) de Santos, no Palácio da Polícia.

Na repartição policial, ele nada quis declarar ao ser questionado sobre as ameaças realizadas aos familiares. De plantão na CPJ, o delegado Otávio Augusto de Castro Rios Carvalho autuou o homem em flagrante pelo crime de extorsão consumada. Posteriormente, V.M.J. teve como destino a cadeia anexa ao 5º Distrito Policial (Bom Retiro), na Zona Noroeste, onde permanecerá à disposição da Justiça.

O pai do dependente químico foi autuado por porte ilegal de arma de fogo. Ele foi liberado após apresentar fiança estipulada em R$ 340,00.