Adolescente suspeito de matar médico em Guarujá se apresenta à polícia

O menor estava foragido desde o dia do crime e tentou apresentar a sua versão dos fatos em Guarulhos (SP), mas será encaminhado para ser ouvido em Guarujá

Comentar
Compartilhar
05 AGO 2021Por Folhapress16h20
O médico infectologista de 60 anos foi morto na tarde de sábado (31) durante um assalto em GuarujáO médico infectologista de 60 anos foi morto na tarde de sábado (31) durante um assalto em GuarujáFoto: Reprodução

O jovem de 17 anos, suspeito de ter matado o médico infectologista Rodolfo Enrique Postigo Castro, de 60 anos, no último sábado (31), em Guarujá, se apresentou nesta quinta-feira (5) em uma delegacia de Guarulhos, na região da Grande São Paulo. Ele é apontado por testemunhas como o autor dos tiros.

O menor estava foragido desde o dia do crime e tentou apresentar a sua versão dos fatos na delegacia, mas será encaminhado para ser ouvido em Guarujá.

Ele é aguardado ainda hoje (5) no DP Sede da cidade, onde deverá prestar depoimento.

Os responsáveis pelo caso já entraram com um pedido junto à Justiça para que ele seja detido enquanto as investigações prosseguirem.

O caso

O médico infectologista de 60 anos foi morto na tarde de sábado (31) durante um assalto em Guarujá. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, policiais civis da cidade identificaram um adolescente, de 17 anos, como um dos autores do crime de latrocínio (roubo seguido de morte).

A família do médico saiu de Tatuí, no interior de São Paulo, para passar o fim de semana na praia. A Secretaria de Segurança Pública afirmou, por meio de nota, que a vítima e os familiares saíam de um restaurante onde haviam almoçado, quando foram abordados por dois suspeitos, em uma moto CG, e anunciaram o roubo.

Eles levaram pertences da vítima e de sua filha no mesmo momento em que ocorreram dois disparos atingindo, fatalmente, o médico infectologista.

A equipe policial, então, realizou investigação de campo e pesquisas em sistemas policiais, identificando o adolescente por participação no crime.

Os investigadores mostraram a fotografia do adolescente para a filha da vítima, que o reconheceu. A polícia localizou a residência do menor, no Guarujá, mas ele não estava.

A morte do médico causou comoções nas redes sociais entre familiares, amigos e pacientes, que prestaram homenagens ao infectologista.

Com informações da Folha de São Paulo