Acusado de tráfico é preso enquanto se mudava de imóvel em Santos

Policiais civis apreenderam 256 quilos de drogas em buscas no apartamento de Alan Luiz Abud Garcia e na garagem privativa dele, em um prédio na Aparecida

Comentar
Compartilhar
23 JUL 2018Por Gilmar Alves Jr.17h00
O flagrante ocorreu após um mês de investigação, segundo a Polícia CivilO flagrante ocorreu após um mês de investigação, segundo a Polícia CivilFoto: Divulgação/Polícia Civil

Acusado de tráfico de drogas e de exercer a função de disciplina do Primeiro Comando da Capital (PCC), o foragido da Justiça Alan Luiz Abud Garcia, o Guga, de 25 anos, foi preso na noite de sábado, na Aparecida, enquanto se mudava de imóvel. Policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Santos apreenderam 256 quilos de drogas em buscas no apartamento do acusado e na garagem privativa dele, em um prédio na Avenida Afonso Pena, 594.

De acordo com o investigador-chefe da DIG, Paulo Carvalhal, uma apuração iniciada há 30 dias resultou na prisão. Guga já era procurado pelo crime de associação ao tráfico. A função de disciplina consiste em apurar e punir as infrações dos membros da facção ao estatuto e, de acordo com a DIG, o acusado a exercia na Aparecida e na Ponta da Praia.

Sob o comando dos delegados Luiz Ricardo de Lara Dias Júnior, titular da DIG, Leonardo Amorim Nunes Rivau, assistente, e do investigador Carvalhal, os policiais da especializada surpreenderam o procurado por volta das 18h30, quando juntamente com algumas pessoas ele fazia a mudança.

Como não portava documentos, os policiais foram até o imóvel para que Guga os mostrasse. Ao se aproximarem do quarto, os investigadores perceberam um forte odor de maconha e encontraram os tijolos da droga em um armário, onde havia também uma arma de fogo de calibre 38 com numeração suprimida e materiais relacionados à produção e distribuição de drogas.

Em uma busca na garagem privativa, houve a apreensão de 154 quilos de maconha, 1,3 quilo de cocaína e 1 quilo de crack.

Confissão

De acordo com a DIG, o acusado admitiu a posse da droga e da arma de fogo, porém nada declarou sobre a procedência e destino das drogas.

Até a tarde desta segunda-feira (23), o acusado ainda não havia constituído defesa.