Acusado de ser contador do PCC é preso pela Polícia Civil em Vicente de Carvalho

Pistola, mais de 160 munições, anotações do tráfico e balança de precisão foram apreendidas por policiais da Dise

Comentar
Compartilhar
15 OUT 2019Por Gilmar Alves Jr.15h02
Apreensão foi realizada na casa do acusado, na Rua Paraná, no Pae CaráFoto: Divulgação/Polícia Civil

Um homem apontado como contador do Primeiro Comando da Capital (PCC) foi preso pela Polícia Civil, na manhã desta terça-feira (15), na casa onde reside, em Vicente de Carvalho. A ação foi resultado de um trabalho de apuração que durou dias, desenvolvido com campanas de policiais da Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes (Dise) no bairro Pae Cará.

Diante das evidências de que na casa do acusado, na Rua Paraná, no Pae Cará, o tráfico de drogas era organizado, inclusive com reuniões, e operacionalizado, o delegado Rubens Barazal, titular da Dise, requereu ao Poder Judiciário um mandado de busca e apreensão, que foi expedido pela 1ª Vara Criminal de Guarujá.

Na casa do homem, de 31 anos, os policiais civis, sob o comando de Barazal e do investigador-chefe, Luiz Fonseca, localizaram uma pistola de calibre .40 com numeração raspada, mais de 160 munições, anotações do tráfico de entorpecentes e uma balança de precisão.

Dentre as anotações encontradas, estão supostas movimentações de cocaína para portos como o de Antuérpia, na Bélgica, e de Le Havre, na França. Estes dois portos são destinos recorrentes de narcotraficantes nas tentativas de envio de cocaína ao exterior via Porto de Santos. 

O detido negou aos policiais ser traficante e disse que achou a armas e as munições em trilhos de trem perto de sua casa. Além disso, afirmou que a balança de precisão era para sua mãe “pesar carne”.

Barazal autuou o homem pelos crimes de organização criminosa, posse ilegal de arma de fogo e pelo armazenamento de apetrecho para o tráfico.

Após o registro do caso, o preso foi encaminhado para a cadeia anexa ao 5º DP (Bom Retiro).