Acusado de fraudes bancárias preso em Guarujá debochou de vítimas em bolo de aniversário

Acusado tinha posado para foto com bolo contendo logotipos de diversos bancos e imagens de dinheiro

Comentar
Compartilhar
02 DEZ 2020Por Gilmar Alves Jr.17h30
Foto do acusado com o bolo foi descoberta durante o cumprimento de mandado de busca e apreensãoFoto: Reprodução

Policiais da Delegacia de Guarujá prenderam um homem de 34 anos acusado de integrar uma organização criminosa envolvida com fraudes de cartões bancários e encontraram uma foto do investigado posando com um bolo de aniversário contendo logotipos de bancos e de dinheiro, em um ato de deboche em relação aos crimes. A prisão foi realizada na tarde de terça-feira (1º) na área rural do município.

Foram localizados cartões bancários de bandeiras diversas em nome de terceiros, inclusive de mais três indivíduos que também estão sendo investigados. No aparelho celular do suspeito, que ele portava no momento, havia um bloco de notas virtual com inúmeras contas bancárias, agências e titulares. “Desde logo, comprovou-se que várias dessas contas foram usadas para prática de fraude e estelionatos.  Inclusive foram verificadas conversas, minutos antes, com outros integrantes sobre golpes realizados também na plataforma PIX de Instituições Bancárias, e ainda participações em grupos no aplicativo do Facebook com possíveis estelionatários”, informou o Departamento de Polícia Judiciária do Interior-6 (Deinter-6), em nota.

A prisão, segundo departamento, foi fruto de investigações que a Delegacia de Guarujá vem realizando com a finalidade de coibir crimes de estelionato e outras fraudes financeiras, as quais deram ensejo à expedição de mandado de busca e apreensão pelo Poder Judiciário.

“O delegado de polícia responsável representou pela expedição do citado mandado, requerendo a autorização expressa para verificação de dados de aparelhos eletrônicos, o que foi deferido pelo juiz competente. Na posse do mandado, a equipe diligenciou ao endereço do indivíduo, apurado durante as investigações, e lá foram recebidos por ele”, disse o Deinter-6.

Foi dada voz de prisão em flagrante delito ao homem pela prática de estelionato e por integrar associação criminosa. “Diante da evidente utilização desses cartões na prática de estelionato, o delegado representou pela conversão do flagrante em prisão preventiva. Diligências prosseguem com relação aos demais integrantes da associação criminosa”, finalizou o Deinter-6.