Acusado de assaltar na Anchieta é preso em operação da Polícia Civil

Fernando Silva de Almeida, o Fininho, de 18 anos, ostentava objetos roubados nas redes sociais; ele foi um dos 350 detidos em blitz realizada em seis cidades da Baixada Santista

Comentar
Compartilhar
23 MAR 2017Por Gilmar Alves Jr.19h07
O acusado em postagem no Twitter; ele foi recolhido à cadeia anexa ao 5º DP de SantosO acusado em postagem no Twitter; ele foi recolhido à cadeia anexa ao 5º DP de SantosFoto: Reprodução/Twitter

“Um dia sem golpe (roubo) é um dia perdido. Há muito tempo eu não venho perdendo um dia”. “Mais um iPhone pra lista, kkk, iPad também. Boa noite”. “Rindo à toa. Estou pisando em dinheiro”. As postagens, no Twitter, são de Fernando Silva de Almeida, o Fininho, de 18 anos, preso na manhã desta quinta-feira (23) pela Polícia Civil e acusado de assaltar na Via Anchieta, em Cubatão.

Fininho, que também é conhecido pelo apelido de Cerol, já foi reconhecido por uma vítima de roubo na Anchieta e será submetido a outros reconhecimentos. Ele foi um dos 350 detidos em uma operação de 24 horas da Polícia Civil nas cidades de Cubatão, Santos, São Vicente, Praia Grande, Guarujá e Bertioga. A blitz, de 24h, foi concluída nesta quinta-feira às 11h.

Segundo o delegado Fábio Szabo Guerra, titular do 1º Distrito Policial de Cubatão, Fininho residia no Pinheiro do Miranda e tinha fácil acesso na fuga após os assaltos. Ele foi capturado às 6h30 desta quinta na casa da avó dele, no Jardim Casqueiro, por força de um mandado de prisão temporária expedido pela Justiça em decorrência da investigação.

Na casa os investigadores apreenderam um relógio de pulso, um iPad e um par de tênis. A apreensão dos calçados, conforme Guerra, também colaborou para incriminar o suspeito. Isso porque a vítima que reconheceu Fininho havia descrito a marca do tênis usado pelo assaltante.

O delito atribuído a Fininho ocorreu em 25 de fevereiro, na altura do quilômetro 58, na Vila São José, e teve como vítima um rapaz de 29 anos que seguia para o trabalho, em uma empresa de Cubatão.

Segundo a vítima, Fininho e um comparsa em uma Titan preta atingiram o guidão de sua moto e o renderam, subtraindo mochila, celular, carteira, documentos e aliança. Armado, Fininho estava na garupa e usava capacete com a viseira aberta, o que facilitou sua posterior identificação. O piloto, conforme o delegado, também está identificado e segue sendo procurado pelos investigadores.

Até o final da tarde desta quinta-feira (23), Fininho ainda não tinha advogado, segundo a Polícia Civil.

Ainda em Cubatão, um outro suspeito de assaltos em rodovias foi preso na quarta-feira no Jardim Costa e Silva. Ele tem antecedentes criminais e portava um revólver de calibre 38 com numeração raspada.

Em caso de reconhecimento, vítima deve procurar o 1º DP de Cubatão; o telefone da unidade é 3361-1234 (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Números

Além de Guerra, o delegado seccional de Santos, Manoel Gatto Neto, e a delegada Fernanda dos Santos Sousa, da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), anunciaram informações da operação em entrevista coletiva.

Das 350 detenções, 57 foram de adultos com mandado de prisão decretado, 25 de pessoas presas em flagrante, 24 de adolescentes e 244 de pessoas que cometeram crimes de menor potencial ofensivo, que foram liberadas após registros de Termos Circunstanciados (TC´s).

Mais de 18 quilos de entorpecentes foram retirados de circulação e 15 veículos foram apreendidos, bem como quatro armas de fogo.

A operação mobilizou 153 policiais, que agiram em 65 viaturas.