O Fantasma do Paquetá

Compartilhar
22 JUN 2021Por Diário do Litoral12h12

Ela viveu em Santos no ano de 1900. Acabou se envolvendo com um membro do alto clero da igreja e, como fruto dessa proibida relação, nasceu uma criança. Sofreu preconceito e sequer podia sair na rua, sob a punição se ser humilhada e até agredida. Assim, seu filho era a sua maior alegria e distração. Porém, ao 7º dia de vida, o bebê faleceu. E a existência de Maria seria totalmente transformada dali em diante, em um misto de tristeza, angústia e revolta, que acompanhariam a sua alma até hoje, mais de 100 anos depois. Conheça a história do "Fantasma do Paquetá", uma notória lenda que ainda causa arrepios em muitos santistas, e que parece estar cada vez mais presente na memória daqueles que juram já terem visto a sofrida mulher chorando entre os túmulos do cemitério.

Apresentação: Jeferson Marques e LG Rodrigues