Prefeito de Peruíbe anuncia que aulas presenciais não retornarão até outubro

Anúncio foi feito por Luiz Mauricio (PSDB) por meio de transmissão ao vivo em suas redes sociais.

Comentar
Compartilhar
28 AGO 2020Por Da Reportagem19h45
Por fim, ele destacou que a decisão é para a rede infantil e que na rede particular, nos casos que não são de Educação Infantil, a competência é da Diretoria Regional de EnsinoFoto: Luiz Pinheiro / Prefeitura de Peruíbe

A rede municipal de ensino de Peruíbe manterá a suspensão das aulas no mês de setembro e no mês de outubro. O anúncio foi feito pelo prefeito Luiz Mauricio (PSDB), durante uma transmissão ao vivo nas suas redes sociais. De acordo com o chefe do Executivo, o objetivo é resguardar a saúde e a vida das pessoas.

Na ocasião, ele informou que, embora o Plano SP já tenha estabelecido que a partir de setembro as aulas presenciais não voltam, mas poderiam retomar atividades de reforço, os municípios da Região Metropolitana da Baixada Santista têm tomado algumas medidas, que vão desde a suspensão total das aulas no ano de 2020, até a suspensão somente dos meses de setembro e outubro.

"O município de Peruíbe, para que pudesse tomar essa decisão de uma forma também participativa, consultou a rede municipal de ensino, os pais de alunos, toda a nossa comunidade escolar, para que a gente realmente pudesse ter a certeza desse encaminhamento."

A prefeitura fez duas perguntas. A primeira se os pais eram favoráveis à retomada das aulas presenciais ainda em 2020 e a segunda se numa possível retomada parcial das aulas (uma vez por semana), com horário reduzido, mantendo-se as atividades pedagógicas não presenciais e todos os devidos cuidados em relação à higiene e distanciamento social, os pais mandariam o seu filho para a escola.

"A pesquisa aponta que 659 pessoas (11,11%) falaram que mandariam os seus filhos para a escola e 5.263 pessoas (88,71%) não mandariam. Na segunda possibilidade, 1.511 (25,47%) responderam que sim e 4.406 (74,26%) que não." De acordo com o prefeito, no mês de outubro haverá uma nova avaliação. "Se for o caso, a gente avança na suspensão ou a gente reconsidera essa decisão. Sempre com participação popular da comunidade escolar e tratando essa situação de uma maneira responsável e moderada."

Mauricio também adiantou que a Administração Municipal tem mantido uma relação com o Ministério Público, informando a respeito de todas as medidas que estão sendo tomadas. "A Secretaria de Educação montou uma comissão envolvendo todos os segmentos da educação nesse debate, envolvendo o Conselho Municipal de Educação, representantes de escolas particulares, a rede municipal de ensino, a Secretaria Municipal de Educação e a própria Secretaria de Saúde, para que a gente definisse esse protocolo".

Por fim, ele destacou que a decisão é para a rede infantil e que na rede particular, nos casos que não são de Educação Infantil, a competência é da Diretoria Regional de Ensino, vinculado ao Governo do Estado e ao Plano SP.