Polícia Ambiental aplica multas e retira turistas de área de preservação em Peruíbe

Profissionais realizaram vistoria em áreas visitadas pelo grupo, mas não constataram degradações ambientais

Comentar
Compartilhar
22 FEV 2021Por Da Reportagem09h35
Peruíbe: Grupo foi encontrado nas ilhas que formam o RVS Abrigo e GuararitamaFoto: Polícia Militar Ambiental / Divulgação

Agentes da 1ª Companhia do 3º Batalhão de Polícia Militar Ambiental flagraram um grupo de dezenas de pessoas realizando turismo em uma área de preservação ambiental no último sábado (20). De acordo com profissionais da instituição, os turistas foram encontrados nas ilhas que formam o RVS Abrigo e Guararitama, dentro do município de Peruíbe. Os policiais aplicaram uma multa equivalente a R$ 6 mil.

Os agentes da Polícia Militar Ambiental chegaram ao local após uma solicitação através do ofício 98/21-GAEMA-BS e contaram com o apoio da embarcação "CB BARROS", da 5 ª Companhia Marítima. Ao chegar próximo da área de preservação ambiental, eles se depararam com aproximadamente 50 banhistas que transitavam pela ilha, além de um pequeno grupo que nadava pela área.

Após abordarem as embarcações que estavam no local, os policiais identificaram os autuados, responsáveis pela aglomeração e todos apresentaram as respectivas documentações relacionadas à navegação e embarcação, ou seja, TIE (Título de Inscrição de Embarcação) e MAC (Marinheiro Auxiliar de Convés). As documentações apresentadas estavam dentro do prazo de validade.

Apesar disso, ao serem questionados sobre possuir autorizações da Prefeitura de Peruíbe para exploração de turismo, os responsáveis pelo grupo de mais de 50 pessoas afirmaram não possuir licenças ou outras autorizações. Diante disso, foram elaborados quatro autos de 'Infração Ambiental' por explorar comercialmente serviços em unidade de conservação, com imposição de multa em R$ 1.500,00 e apreensão das embarcações e respectivos motores.

Todos os turistas também foram orientados quanto aos desdobramentos administrativos que recaem sobre o caso e seguiram as recomendações dos policiais. Após a ocorrência, os agentes da Polícia Ambiental fizeram uma incursão á pé pelas trilhas e em parte do costão rochoso da Ilha do Abrigo, mas não constataram outras degradações ambientais.