Atingidos por chuva em Peruíbe podem pedir saque de FGTS até esta quinta-feira

Governo Federal homologou solicitação feita em janeiro pela Prefeitura, quando o município foi atingido por desastres naturais

Comentar
Compartilhar
11 MAI 2021Por Da Reportagem13h00
Parte do solo cedeu na região da praia de Peruíbe em janeiroParte do solo cedeu na região da praia de Peruíbe em janeiroFoto: Eduardo de Peruíbe Afinidades / Arquivo Pessoal

A solicitação da Prefeitura de Peruíbe para permitir o saque do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) aos atingidos pelas fortes chuvas em janeiro foi homologada pelo Governo Federal. A apresentação dos documentos precisa ser feita até esta quinta-feira (13) e, por conta da pandemia, a Caixa destaca que o atendimento também pode ser feito por meio do aplicativo 'FGTS'.

O procedimento só pode ser feito por quem tem saldo no Fundo de Garantia e por quem reside nos locais reconhecidos pelo Governo Federal como áreas afetadas com os danos dos desastres naturais.

Na hora de fazer a solicitação, a Caixa exige que seja apresentado documento de identificação pessoal, carteira de trabalho e comprovante de residência (conta de luz, água, telefone, gás, extratos bancários, carnês de pagamentos, entre outros) emitido nos últimos 120 dias anteriores à decretação da emergência ou calamidade havida em decorrência do desastre natural (outubro, novembro, dezembro e janeiro).

Quando se tratar de diretor não empregado, se não possuir cópia autenticada das atas das assembleias que comprovem a eleição, eventuais reconduções e término do mandato, também pode ser apresentado o número de inscrição PIS/PASEP/NIS.

A relação de ruas e bairros homologados pelo Governo Federal como atingidos, podem ser conferidos pelo link: http://bit.ly/RuasEbairros

Para baixar o Guia Rápido do aplicativo 'FGTS Saque Calamidade', acesse http://bit.ly/GuiaRapidoApp

E para baixar o aplicativo FGTS, da Caixa Econômica Federal, clique aqui: http://bit.ly/AppFGTS

RELEMBRE.
No dia 18 de janeiro, Peruíbe foi atingida por chuvas intensas com 255 mm acumulados em apenas 24 horas. A pedido da Prefeitura, a Defesa Civil Estadual esteve na cidade logo na manhã seguinte com uma equipe para realizar uma vistoria emergencial no município.

Durante a vistoria, os técnicos identificaram três pontos de erosão na avenida Mário Covas Júnior (beira-mar), sendo que dois pontos causaram interdição parcial e um deles interdição total da via. Um trecho da via permanece interditado. Nos bairros Caraguava e Ribamar, vários pontos de alagamento se formaram, afetando várias residências. Na ocasião, dezenas de casas foram interditadas e outras dezenas de pessoas ficaram desalojadas.

Após solicitação de apoio da Prefeitura, a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (Cepdec/SP) permaneceu com a equipe no município, juntamente com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), para realizar vistorias emergenciais, avaliar as áreas mais afetadas e dar suporte técnico nas ações de resposta.