'Existem muitas oportunidades no Canadá'

O cofundador da 'Canada Intercambio' fala sobre como brasileiros podem ingressar de forma legal no país.

Comentar
Compartilhar
01 SET 2019Por Caroline Souza09h34
Ed Santos é diretor de operações, consultor de imigração credenciado pelos órgãos reguladores e cofundador da Canada Intercambio.Foto: DIVULGAÇÃO

O Canadá está entre os destinos mais procurados por brasileiros na hora de estudar e trabalhar no exterior. Em 2018, cerca de 160 mil novos residentes permanentes de diferentes nacionalidades foram admitidos pelo programa Classe Econômica, por meio do Express Entry.

Apesar disso, ainda falta mão de obra qualificada para atender a demanda do País. Conforme relatório divulgado em novembro de 2018 pela Statistics Canada, 430 mil vagas de empregos estavam disponíveis e não foram preenchidas.

A Reportagem conversou com o cofundador da 'Canada Intercambio', Ed Santos, sobre como brasileiros podem ingressar de forma legal no país. Ed Santos também é diretor de operações e consultor registrado, credenciado e regulamentado pelos órgãos reguladores canadenses.

Diário do Litoral - Qual a melhor forma de imigrar para o Canadá?

Ed Santos - Depende do seu perfil. O Governo Canadense leva em consideração seis quesitos: idade, formação acadêmica, proficiência em inglês e francês, experiência profissional, possível oferta de emprego no país e experiência canadense.

A maioria dos brasileiros está descobrindo essa oportunidade já mais velho e, para amenizar a perda de pontos por ter mais de 29 anos (ideal), precisa de excelência nos outros quesitos.

Outro problema é a falta de proficiência com os dois idiomas oficiais do país, porém isso pode ser resolvido com uma imersão de estudos.

A maioria das pessoas interessadas tem essa combinação: idade avançada e inglês (ou francês) ruim. A solução é investir em programas de idiomas e graduação no país. Após ingressar em um curso superior no Canadá, o candidato passa a ganhar pontos de bônus no seu perfil, que compensam a perda de pontos com a idade mais elevada e o colocam novamente na disputa pela vaga.

Por meio de estudos, preferencialmente em Colleges públicos, os brasileiros têm obtido uma estratégia que começa com um processo educacional para se tornarem elegíveis ao término do curso e da experiência profissional, em um processo imigratório.

O Canadá é um país que necessita de imigrantes para girar sua economia. Além de ser um país desenvolvido em educação, oferece oportunidades para quem quer imigrar e trabalhar legalmente no país. A imigração não é um fator fácil de se tratar, mas também não é impossível, desde que respeite as leis canadenses à risca. Mais informações através do site www.imigrarparaocanada.com.br.

Diário - Como é o processo de imigração?

Ed Santos - Existem vários processos. Os dois mais utilizados por brasileiros são o FSW (Federal Skilled Worker) e o CEC (Canadian Experience Class), ambos dentro do Express Entry.

Primeiramente, as pessoas preenchem um perfil on-line para expressarem seu interesse em imigrar para o Canadá. Esse sistema informará eletronicamente se a pessoa é elegível para o Programa Federal de Qualificação Especial, ou Programa Federal de Profissionais Qualificados ou ainda a Classe de Experiência Canadenses. Desta forma, o Canadá irá informar ao candidato se ele atende aos critérios de pontuação, incluindo fatores como educação, habilidade com idioma e experiência de trabalho. Os candidatos são avaliados e classificados de acordo com o Sistema de Classificação Abrangente (CRS).

Diário - É possível imigrar sem falar inglês?

Ed Santos - Com exceção de Quebec, onde o idioma oficial é francês e precisa ser fluente nesse idioma para um processo imigratório, não é possível imigrar para o Canadá sem falar inglês dentro dos processos econômicos. É possível casar com um canadense e imigrar sem falar inglês, mas que sucesso essa pessoa teria no país? A proficiência é um dos fatores decisivos na hora de concorrer a uma vaga para imigrar e para sobreviver no Canadá. Não esquecendo que o Canadá é um país bilíngue e muitas vezes o francês será exigido.

Diário - Como é o mercado de trabalho? Há vagas para brasileiros?

Ed Santos - Não há vagas para brasileiros, franceses ou chineses, há vagas, ponto. Existem inúmeras oportunidades para morar e trabalhar no Canadá, mas os maiores desafios dos candidatos são o idioma fluente e a "recolocação profissional", enfatizando as profissões credenciadas.

O primeiro passo é o candidato pesquisar e entender a profissão ou indústria na qual quer atuar e a primeira pergunta é: sua profissão é regulamentada no Canadá? Há várias áreas de atuação que necessitam de uma licença profissional no país (como medicina, engenharia, pedagogia, advocacia, contabilidade, enfermaria, farmacêutica, eletricista e arquitetura).

Diário - Por fim, o que é preciso levar em conta na hora de escolher a melhor cidade para imigrar?

Ed Santos - É interessante que o futuro imigrante verifique qual cidade adere mais ao seu segmento de atuação. Profissionais de tecnologia podem encontrar mais oportunidades em Quebec; jornalistas, agricultores e profissionais de negócios e finanças, em Ontário; profissionais de Arte e Cultura, em Montreal e Toronto, e assim por diante.