Transatlânticos: Sobra emprego e falta gente com perfil

Agência diz que procura é grande, mas que 40% dos candidatos não se encaixam nos requisitos exigidos

Comentar
Compartilhar
03 MAR 201318h46

Inglês fluente e experiência em hotelaria de pelo menos seis meses. Esses são os requisitos fundamentais para conseguir uma vaga entre as 600 abertas para trabalho a bordo de transatlânticos, na temporada 2007/2008. Porém, embora o mercado de cruzeiros marítimos esteja em progressivo crescimento, na Baixada Santista há poucos candidatos com esse perfil.

A diretora geral da agência Infinity Brazil, Jerusa Pedrosa, afirma que recebe de 100 a 200 currículos por dia, mas que 40% do pessoal que se candidata não atende aos requisitos básicos para o preenchimento da vaga. “É preciso falar inglês fluente, ter experiência de pelo menos seis meses em hotelaria e idade entre 18 e 35 anos. Recrutamos pessoal não só aqui na Baixada Santistas, mas em outros estados também”, diz ela complementando que não é necessário ter curso superior para trabalhar nos transatlânticos.

A Infinity representa as quatro companhias que estão oferecendo as vagas de trabalho nos navios de passageiros. São elas a Costa, MSC, Iberojet e Crystal. Jerusa salienta que o mercado dos chamados ‘resorts flutuantes’ é crescente e oferece oportunidade de carreira internacional. “Quanto mais experiência, maior a chance de um novo contrato com as companhias de cruzeiros marítimos. Quem já trabalhou a bordo também tem mais chance de fechar novos contratos”.

Janaína Fernandes de Castro Barbosa, 18 anos, assinou contrato de nove meses com a MSC, com salário mensal de US$ 1 mil (cerca de R$ 2 mil), para trabalhar no restaurante do navio Sinfonia. Seguirá para a Europa no dia 12 de novembro. Com inglês fluente e experiência em restaurantes, Janaína viu nesse mercado a oportunidade de crescimento profissional, pessoal e cultural.

“Vou juntar dinheiro para depois poder fazer uma faculdade. Tenho só 18 anos e vou trabalhar na Europa. Onde aqui eu ganharia este salário com a minha idade? É uma grande oportunidade e quem sabe eu não siga carreira nessa área que é bastante promissora”, diz Janaína que pensava em cursar medicina, mas adiou para trabalhar a bordo.

Paula Klein Pallone é formada em hotelaria, com especialização no Canadá, onde passou um ano. Há sete anos trabalha em hotéis e há duas semanas retornou ao Brasil, após sete meses trabalhando no navio Caribbean Princess, pela empresa Princess Cruise, no Caribe.

“É uma experiência boa, me realizei profissionalmente e pretendo retornar, mas não agora”, diz Paula fazendo uma ressalva: “é preciso gostar muito porque não é fácil ficar longe da família, no exterior. A solidão pesa bastante”. Mas, apesar disso, Paula recomenda a experiência àqueles que têm interesse em trabalhar em cruzeiros marítimos.

Seleção

Segundo informações da Infinity, estão sendo oferecidas vagas para camareiros, área de limpeza em geral, restaurante, bar e cozinha. Os salários a bordo variam de US$ 600 a US$ 1.200 e os contratos são de seis a dez meses. O tripulante não tem custo com comida, moradia ou seguro médico.

Interessados devem enviar currículo pelo site www.infinitybrazil.com até o dia 31 deste mês. A seleção para os cargos começa com a análise do currículo, depois entrevista em inglês, teste psicológico e teste do idioma e treinamento com a Infinity. O candidato não paga taxa de agenciamento. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (13) 3224-7734.

Temporada 2007/2008

A temporada de cruzeiros marítimos 2007/2008 na Região terá duração de seis meses. Nove transatlânticos atracarão no porto de Santos entre outubro e abril.