Indústria fecha 30 postos de trabalho na Região em junho

Já no acumulado do ano, enquanto a Diretoria Regional do Ciesp em Cubatão apresenta abertura de 200 novos empregos, na Regional de Santos 100 vagas foram fechadas

Comentar
Compartilhar
10 JAN 201319h53

A indústria fechou ao menos 30 postos de trabalho durante o mês de junho, na Baixada Santista, segundo apontou a pesquisa do Índice de Nível de Emprego da Indústria de São Paulo realizada mensalmente pelo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) da Fiesp/Ciesp. No cômputo geral, considerando o nível de emprego em todas as regionais do Ciesp no Estado, houve uma queda de 0,03% em junho. Mas no acumulado do ano foram gerados 116.500 empregos em relação a 2010, o que representa um crescimento de 4,50% de janeiro a junho.

O nível de emprego industrial na Diretoria Regional do CIESP em Cubatão (região composta por Cubatão, Guarujá e Bertioga) apresentou resultado negativo em junho de -0,17%, o que significou uma redução de aproximadamente 20 postos de trabalho. No ano, a região apresenta acréscimo de 1,74% com a geração de aproximadamente 200 postos de trabalho. Em 12 meses, temos um acumulado de 5,22%, representando um acréscimo de aproximadamente 650 postos de trabalho.

O índice da Diretoria Regional do CIESP em Cubatão foi influenciado pelas variações negativas dos setores de Produtos de Metal exceto Máquinas e Equipamentos (-1,44%), Celulose, Papel e Produtos de Papel (-0,50%), Coque, Petróleo e Biocombustíveis (-0,08%) e Produtos Químicos (-0,07%), que são setores que mais influenciam o cálculo do índice total na região. O resultado só não foi pior devido a variação positiva do setor de Metalurgia (0,73%),  que também influencia o cálculo do índice.

O nível de emprego industrial na Diretoria Regional do CIESP em Santos (região composta por Santos, São Vicente, Praia Grande, Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe) apresentou resultado negativo em junho, com variação em -0,15%, o que significou uma redução de aproximadamente 10 postos de trabalho.

No ano, o acumulado de -1,48% representa uma redução de aproximadamente 100 postos de trabalho. Em 12 meses, a queda foi de -1,32%, representando cerca de 100 postos de trabalho a menos.

O índice na região industrial de Santos foi influenciado pelas variações negativas dos setores de Produtos Alimentícios (-2,74%) e Produtos de Metal exceto Máquinas e Equipamentos (-0,43%), que são os setores que mais influenciam o cálculo do índice total da região. O resultado só não foi pior devido as variações positivas dos setores de Confecção de Artigos do Vestuário e Acessórios (3,39%) e Produtos de Minerais Não Metálicos (2,68%), que também influenciam o cálculo do índice.

Setores e regiões do Estado

Em junho, o setor que mais gerou empregos foi novamente o sucroalcooleiro – 357 do total, com participação de 0,02%. Já os outros setores registraram resultado negativo, com perda de 0,05% e fechamento de 857 postos de trabalho.

Dos setores analisados pela pesquisa, 11 tiveram comportamento positivo, nove ficaram negativos e dois estáveis. O setor de Equipamentos de Informática, Produtos Eletrônicos e Ópticos apresentou alta de 1,2%. Em seguida, vieram os de Fabricação de Coque, Petróleo e Biocombustíveis (1,0%) e Produtos de Madeira (0,6%). Os que registraram queda foram Couro, Artigos de Viagem e Calçados (-1,2%) e Produtos Têxteis (-0,8%).

Quanto ao comportamento das Diretorias Regionais do Ciesp, 17 computaram queda no quadro de funcionários em junho, 15 registraram alta e quatro permaneceram estáveis. Entre as regiões com desempenho negativo estão Botucatu (-9,53%), Santo André (-1,14%) e Presidente Prudente (-1,06%). Já as três regiões que cresceram foram Matão, com 1,93%, São José dos Campos, 1,03% e Piracicaba 0,72%.