Indústria e porto devem gerar mais 3 mil empregos até março

Estimativa é do secretário da Indústria de Cubatão que aposta na expansão do pólo industrial e do retroporto

Comentar
Compartilhar
24 FEV 201319h56

A expansão do pólo industrial e da atividade retroportuária, em Cubatão, devem gerar mais três mil empregos temporários até março de 2008. A estimativa é do secretário municipal de Indústria, Comércio, Porto e Desenvolvimento, Ricardo Felipe Lascane. Lascane afirmou que o Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT), órgão vinculado à Secretaria da Indústria de Cubatão, já encaminhou para postos de emprego temporários, de janeiro a outubro deste ano, cerca de três mil pessoas.

Esse número é seis vezes maior que o contabilizado no PAT no ano passado, quando 500 trabalhadores foram encaminhados para emprego na indústria. Porém, Lascane ressalvou que só este ano, o PAT pôde ser reestruturado, inclusive no tocante a melhor organização do banco de cadastro dos trabalhadores e da mão-de-obra recrutada pelas indústrias.

O secretário observou que houve um aumento gradativo nas contrações para o pólo industrial este ano e estima que até março de 2008, o PAT de Cubatão recoloque no mercado industrial e de retroporto mais três mil trabalhadores. “O crescimento de vagas para empregos temporários se deve à expansão do pólo industrial e do retroporto, em áreas de Cubatão”.

Lascane observou que o retroporto é uma vocação nova na Cidade, que tem tudo para impulsionar o comércio exterior e a economia local. A exploração das atividades de retroporto em Cubatão iniciou há dois anos. “Cubatão está localizada a 15 minutos da margem direita do porto de Santos, a 15 minutos da margem esquerda, e a 30 minutos do centro financeiro (Capital) de São Paulo. Além de estar bem localizada, Cubatão oferece áreas em boa localização para a expansão do retroporto, além de possuir a lei de incentivos fiscais”.

Porém, Lascane explicou que a oferta de empregos temporários é superior às vagas disponíveis para empregos permanentes nas indústrias. Os empregos temporários têm contratos que variam de seis meses a dois anos e abrangem 98% das vagas abertas no mercado de trabalho, contra 2% dos postos permanentes. Hoje, o PAT de Cubatão, considerado a principal fonte recrutadora de mão-de-obra das empresas, possui 11 mil cadastros. Do total de trabalhadores, apenas 30% são mulheres.

“Os homens ainda têm maiores chances de colocação no mercado industrial e de retroporto, embora existam funções que hoje também sejam desempenhadas por mulheres como operar empilhadeiras”, afirmou Lascane. De acordo com o último levantamento do PAT de Cubatão, 95% da mão-de-obra fornecida são homens e apenas 5%, mulheres.

Lascane disse que apesar do número de trabalhadores cadastrados no PAT, ao menos 50% não concluíram o ensino médio completo. “Hoje em dia, as empresas requisitam trabalhadores com 2º grau completo, experiência na atividade e com qualificação profissional, e muitos acabam não preenchendo esses requisitos”.

Ciesp

Levantamento realizado pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) apontou crescimento de empregos nas indústrias associadas às diretorias regionais do Estado. A pesquisa, contudo, refere-se somente aos empregados permanentes das empresas estudadas, desprezando os contratos temporários.

A Diretoria Regional do Ciesp de Cubatão que abrange as indústrias de Cubatão, Guarujá e Bertioga registrou um aumento de 1,72% no nível de emprego, no período de janeiro a setembro e um acréscimo de 0,76% no acumulado dos últimos 12 meses, porém obteve queda de -0,32% no mês de setembro. O índice foi influenciado pela variação dos setores de produtos químicos (-0,65%) e metalúrgica (-0,16%). Já em setembro de 2006, o índice de emprego aumentou 0,26%.

Já a Diretoria Regional do Ciesp de Santos registrou um aumento no mês de setembro de 1,38%, nos empregos gerados. O índice foi influenciado pela variação dos setores de máquinas e equipamentos (1,54%), confecção de artigos do vestuário e acessórios (1,24%), produtos alimentares (1,09%) e edição, impressão e reprodução de gravações (0,53%). O aumento também foi superior ao crescimento registrado em setembro de 2006, de 0,89%.

No acumulado de janeiro a setembro, houve um aumento de 9,69% e no período dos últimos 12 meses, 11,43%. A regional de Santos compreende as cidades de Santos, São Vicente, Praia Grande, Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe.