Cubatão é a 3a região industrial que mais demite em junho

A Regional do Ciesp Cubatão — 3 municípios —, fechou 100 postos de trabalho em junho; em todo o Estado houve 8 mil demissões

Comentar
Compartilhar
29 JAN 201321h41

O desemprego na indústria sofreu nova desaceleração no mês de junho, mas continua em queda, no Estado de São Paulo. De acordo com a Pesquisa do Índice de Nível de Emprego do Centro e a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp/Fiesp), divulgada ontem, foram fechados oito mil postos de trabalho na indústria paulista em junho.

No acumulado do ano, a indústria paulista já eliminou 54,5 mil postos de trabalho. Em relação ao mês de maio, a queda foi de 0,36%. Em termos ajustados, o índice apresentou baixa de 0,42%.

Este é o pior junho desde 2006, segundo a pesquisa. Em relação ao período de junho de 2008 a junho deste ano foram cortados 191 mil postos de trabalho, uma queda de 7,95%.

A Regional do Ciesp Cubatão, formada por três municípios —Cubatão, Guarujá e Bertioga —, também registrou recuo no índice em junho (-1,28%). Com o resultado, a região foi em termos percentuais a terceira que mais demitiu no Estado, entre 36 áreas avaliadas pelo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) do Ciesp. Foram suprimidos 100 postos na indústria da região.

Os setores responsáveis foram: Produtos de Metal (-5,08%) e Metalurgia (-2,88%). Já o segmento de Produtos Químicos (1,30%) e Coque, Petróleo e Biocombustíveis (0,32%) contrataram. Em relação a junho de 2008, o quadro atual está piorado. Naquele mês o índice foi positivo (1,07%). Em 2009, o saldo também é negativo (-9,37%), representando a demissão de 1.100 trabalhadores. No compilado dos últimos 12 meses, a região pontua recuo (-8,83%) de 1 mil postos industriais.

Na região de Santos, onde a unidade do Ciesp atende a seis municípios — Santos, São Vicente, Praia Grande, Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe — o índice de emprego industrial de junho caiu 1%. Houve redução de 100 vagas nos segmentos de confecções de artigos do vestuário e acessórios (-6,01%), produtos de minerais não-metálicos (-2,04%) e produtos alimentícios (-0,52%), mas contratações nos ramos de produtos de metal (2,17%) e impressão e reprodução de gravações (0,64%).

No primeiro semestre de 2009, a região apresenta estabilidade no nível de emprego, com leve queda de 0,05%. Já na soma dos últimos 12 meses, o quadro é de queda (-4%), com 300 demissões.

Indicadores setoriais

Das 22 atividades industriais que compõem a amostra da pesquisa, somente oito apresentaram desempenho positivo, e 14 registraram queda no índice mensal. O principal destaque positivo foi o segmento de Bebidas, com variação de 1,1%. Na sequência, Impressão e Reprodução de Gravações (1%).

As variações negativas mais expressivas vieram dos setores de Metalurgia (-1,6%) e Equipamentos de Informática, Produtos Eletrônicos e Ópticos (-1,4%).

Regiões

Das 36 diretorias regionais do ciesp pesquisadas, oito apresentaram bom desempenho no mês, quatro ficaram estáveis e 24 registraram comportamento negativo. Matão liderou as contratações, com crescimento de 4,8%, influenciado por Produtos Alimentares (11,57%).

Sertãozinho foi a segunda região em que o emprego mais cresceu em junho, com alta de 1,14%, puxada pelos setores de Bebidas (83,02%) e Produtos Alimentares (3,23%). Em terceiro lugar, Jacareí, com expansão de 1,09% na geração de empregos nos setores de Bebidas (4,52%), e Produtos de Metal (3,57%).

O nível de emprego industrial teve queda mais expressiva nas regiões de Jaú (-1,69%), com recuo nos setores de confecção, vestuário e acessórios (-13,08%), borracha e plástico (-4,64%). Em Sorocaba, houve queda de 1,33% nos segmentos de veículos automotores e autopeças (-2,47%) e Metalurgia (-2,03%).