Fotógrafo santista fala sobre a relação dos seus trabalhos com a cidade

No Dia Mundial da Fotografia, comemorado no último domingo (19), a reportagem de O Santista conversou com Leal sobre sua trajetória e projetos

Comentar
Compartilhar
21 AGO 2018Por Caroline Souza12h30
Foto: tom leal/divulgação

Resgatar a arquitetura e preservar a história. Essa foi a ideia do fotógrafo santista Tom Leal ao realizar a exposição Retratos da Vila Mathias. No Dia Mundial da Fotografia, comemorado no último domingo (19), a reportagem de O Santista conversou com Leal sobre sua trajetória e projetos.

Inicialmente, as fotos do bairro Vila Mathias não foram feitas com um propósito específico. O local fez parte da infância de Tom e, para ele, é um dos poucos bairros que ainda mantém uma certa tradição, em contraste com outros que se modernizaram. 

“Fotografo o tempo todo. Ando muito de bicicleta e a pé pelo bairro, então fui fazendo fotos de forma esporádica, conversando com os personagens, até que juntei material para expor”, explica.

O olhar se ateve ao tradicional, mas todas as fotos da Vila Mathias foram feitas por um aparelho moderno e presente no cotidiano de todos: o celular.

“As pessoas têm um pouco de medo da câmera, o celular deixa a aproximação mais fácil”, afirma. Além da construção, os personagens receberam atenção especial do fotógrafo. “O que eu mais gosto do bairro é o fato de as pessoas transformarem a rua em uma extensão de suas casas, batendo papo nas calçadas e ficando em suas janelas”, completa. 

Destacando construções e personagens, Leal acredita que a Vila Mathias é “quase uma cidade histórica dentro de Santos”. Questionado se pretende realizar outro trabalho parecido lá ou em outros bairros da cidade, ele afirma “Este tipo de projeto não tem ponto final”.

Mostra permanente

Um dos trabalhos de Tom, a exposição ‘Caminhos da Fé’, fica exposto no Santuário de Nossa Senhora do Monte Serrat, a padroeira de Santos. 

O fotógrafo registrou a tradicional festa da santa e doou o material para a igreja, que montou uma mostra permanente. 

TUmobgrafia

Para Leal, o que importa na hora de fotografar é o olhar e não o equipamento. Por isso, boa parte de suas fotos, assim como a exposição citada acima, são feitas pelo celular. “Não diminui a fotografia o fato de ter sido feita com o ceular, é tudo sobre o seu olhar”, reitera.

 

Em uma conversa sobre fotografia com o celular, os fotógrafos Tom Leal e André Luiz Saleeby e o jornalista Maurício Businari resolveram criar um grupo dedicado integralmente à fotos mobile, assim surgiu o TUmobgrafia, cujo nome brinca com o jeito santista de falar. 

Todos os dias, fotógrafos profissionais e amadores que utilizam aparelhos móveis, postam seus trabalhos na página do grupo. “Diariamente escolhemos a ‘Foto do Dia’, mas não é uma competição e sim uma referência de fotografia para o dia”, diz.

O grupo conta, por exemplo, com donas de casa, médicos e professores e ajuda a difundir a imagem de Santos e das demais cidades da Baixada Santista pelo mundo. Além da região, profissionais das mais diversas áreas de diferentes regiões do Brasil e de outros países participam da TUmobgrafia, divulgando cenas de seu cotidiano e favorecendo o intercâmbio artístico-cultural.

“Somos um coletivo de três mais dez mil”, brinca Leal, que se orgulha de ver a evolução dos participantes do grupo. “Não somos um grupo de postar fotos para ganhar likes. Isso cria falsos fotógrafos e pode frustrar os bons”, completa.

Este mês, a TUmobgrafia está completando dois anos. Em 2017, foi convidada a integrar o “Santos Cidade

Criativa”, que faz parte do programa “Cidades Criativas”, criado e gerenciado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco).

Sobre o fotógrafo

Com cerca de 20 anos de experiência, Tom Leal começou a fotografar para sua antiga loja de skates. Mas foi quando o empreendimento fechou, em 2002, que ele passou a ‘viver de fotografia’. Trabalhou em fotografia nas áreas de publicidade, moda, retratos e arquitetura. Em 2008, se formou pelo Senac - São Paulo e montou um estúdio em São Paulo. Desde 2013 possui um estúdio na Vila Mathias, em Santos. Leal conquistou seu primeiro prêmio de fotografia em 2002 e, desde então, obteve premiações e menções honrosas em diversos concursos.