Um passeio por Cuiabá

Calor transforma a capital em cidade boêmia, que "ferve" durante a noite

Comentar
Compartilhar
20 NOV 201411h54

A fama de Cuiabá é de ser tão quente que se pode fritar ovo no asfalto. Brincadeiras à parte, o que pouco se diz sobre a capital mato-grossense é que, exatamente por causa das altas temperaturas o ano todo, a graça da cidade não está no dia, e sim na noite. É quando o sol se põe que a vida por aqui se mostra movimentada, boêmia e alegre.

O bairro Popular é o ponto de encontro. Bares charmosos com grandes varandas e mesas voltadas para a rua salpicam de gente bonita e animada, em torno da praça Popular. E nessa hora o calor, já mais ameno, é muito bem-vindo, porque favorece as caminhadas descontraídas e alegra as conversas.

Cervejarias, pubs, restaurantes mexicanos, italianos, japoneses e regionais, peixarias, pizzarias, hamburguerias. Toda a sorte de casas fica movimentada de segunda a segunda. Até o melhor bolo de arroz -- prato típico da região -- só é vendido de madrugada e no início da manhã.

Calor transforma a capital em cidade boêmia, que

Porta de entrada para o Pantanal e a Chapada dos Guimarães, Cuiabá também é rica em história. Mas até os passeios culturais ficam melhores na hora que o sol começa a baixar. Tanto que alguns museus, igrejas, casas culturais funcionam apenas à tarde. A Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, uma das atrações principais atrações históricas da cidade, é um exemplo: abre a partir das 15h.

Outro cartão postal da cidade, o Sesc Arsenal, também só funciona à tarde e mantém o principal da sua programação cultural primordialmente tardia, até a meia-noite.

E se a ideia é curtir Cuiabá dia e noite, a melhor dica é: não ignore o pó de guaraná servido no bufê de café da manhã dos hotéis. Os costumes locais têm sempre sua sabedoria. O guaraná vai ajudá-lo a manter-se disposto diante do sol escaldante para aproveitar a cidade em toda a sua forma.