Será que errei a estratégia?

Existem diversas maneiras para um professor de Xadrez descrever e alertar, sem ferir o sentimento dos alunos, principalmente principiantes

Comentar
Compartilhar
16 ABR 2017Por Da Reportagem15h30

Existem diversas maneiras para um professor de Xadrez descrever e alertar, sem ferir o sentimento dos alunos, principalmente principiantes. Xeque-Mate apresenta sugestões úteis a fim de reduzir eventuais deslizes no tabuleiro

Concentre-se
Esforce-se para não se distrair com as pessoas a sua volta, com comentários e com as outras partidas, especialmente em torneios. Significa que você não deve se levantar depois de cada lance para comentar com espectadores como você está indo bem. Ninguém está interessado em conceituar a posição. 

Nunca relaxe
Ao invés de esperar que o seu oponente abandone a partida, force-o a desistir da luta. É fácil esquecer que até mesmo as posições desesperadas podem conter uma pitada de veneno, uma cilada decisiva. E guarde consigo esse pensamento óbvio: "O jogo só acaba quando termina”.
 
Não subestime o adversário
Não faça lances arriscados na esperança de que o seu oponente não os veja, mesmo quando você estiver enfrentando um neófito. Enxadristas fracos jogam tão descuidadamente que poderiam refutar seu jogo apressado, por mero acaso.

Jamais jogue mecanicamente
Não faça lances precipitadamente, nem dê respostas "automáticas". Mesmo a posição que parece exigir resposta forçada pode ocultar uma inesperada jogada intermediária. Você não vai descobrir coisa alguma caso se apresse em responder ao seu adversário antes que ele tenha acionado o relógio. 

Tenha seu ritmo de jogo
Se você normalmente fica apurado no tempo, pode lutar contra isso. Registre o tempo expirado a cada cinco lances na sua planilha. Assim, fique apto a enfrentar melhor a tensão, embora certos "Josés nervosos" afirmem que não têm tempo para isso. Contrariamente, alguns poucos e extraordinários enxadristas parecem ter êxito quando dispõem de menos de um minuto no relógio. Eles, amiúde, ganham porque seus adversários erram ao querer segui-lo no mesmo ritmo, numa tentativa de induzi-lo ao erro. A maneira correta de explorar o apuro de tempo do oponente é procurar fazer o melhor lance no momento, mesmo que isso exija uma reflexão mais profunda para encontrá-lo.

Discipline seu pensamento
Não fique tão absorvido numa só linha de pensamento que deixe de considerar o óbvio. Atente, por exemplo, para o caso de um xeque do adversário. Você poderá refutá-lo no começo de uma análise e, assim, não ver que quatro lances depois o mesmo xeque que você refutou mentalmente poderá romper sequência ganhadora. Portanto, antes de iniciar uma extensa linha de raciocínio, esteja certo de rever as ameaças inimigas diretas e passo dado ao longo do caminho.
 
Ratificar ou retificar?
Recomenda-se que você anote cada lance na planilha antes de efetuá-lo. Isso poderá ajudá-lo de várias maneiras. Você pode ficar chocado ao ver na planilha uma bobagem que você mesmo escreveu. Além disso, seu adversário também pode reagir a um erro escrito por você e, sem querer, "avisá-lo" por meio de uma alteração fisionômica ou atitude corporal. O saudoso e genial Bobby Fischer chamou de "embusteiros" os enxadristas que utilizam esse expediente, pois eles estavam realmente fazendo anotações à parte.

Até a próxima!