Procon Guarujá registra reclamações de moradores e comerciantes por falta de água

Situação começou a normalizar após Prefeitura notificar a Sabesp e fixar prazo de 24 horas para regularizar o fornecimento

Comentar
Compartilhar
07 JAN 201415h49

Os técnicos do Procon de Guarujá percorreram neste final de semana, a região da Enseada e Vicente de Carvalho, registrando reclamações de moradores e comerciantes, que sofreram com a falta ou baixa pressão da água em suas residências e estabelecimentos comerciais. Desde o último dia 27 de dezembro, os moradores reclamavam da falta de abastecimento, no o último dia 3, a situação começou a normalizar. Isso porque a Prefeitura de Guarujá notificou extrajudicialmente a empresa, fixando prazo de 24 horas para regularizar o fornecimento.

O objetivo da fiscalização foi constatar se o fornecimento de água estava. O Procon realizou aproximadamente 60 visitas, entre sábado e domingo, em estabelecimentos comerciais, quiosques, residências, edifícios e pousadas. As vistorias foram concentradas na área com maior número de reclamações: Jardim Santa Maria, Barreira do João Guarda e Vicente de Carvalho.

Uma das primeiras visitas da equipe foi o quiosque Fonte do Atlântico. O proprietário do Ademar dos Santos, depois de tantos questionamentos resolveu por um aviso na parede, justificando a porta do banheiro fechado: “acabou a água”.

Segundo o comerciante os transtornos começaram no dia 29 de dezembro, permanecendo até o dia 2, quando começou a voltar o fornecimento, porém com pouca pressão. De acordo com Ademar, só no sábado (4), foi completamente restabelecido: “foi muito difícil trabalhar esses dias. Com o quiosque lotado, para não perder clientes tive que comprar água mineral para fazer tudo, além de comida e lavar louças”.

A cabeleireira Adriana dos Santos, disse entre o dia 28 e dia 01, ficou sem água. Apenas uma torneira, tinha o liquido, mas a pressão era baixa. “Para os serviços domésticos utilizávamos a água da caixa, que eu aproveitava para encher durante a madrugada”, declarou a cabeleireira.

O diretor do Procon Alexandre Cardoso lembra que os consumidores que se sentirem lesados ou prejudicados, podem procurar o órgão para verificar qual medida será adotada. “Caso percebam alguma cobrança indevida, o consumidor pode procurar o Procon, lá iremos fazer os cálculos e se constatada a irregularidade serão adotadas as medidas para ressarcir os valores ao cliente. Essa orientação será adotada para evitar que os consumidores sejam prejudicados e resguardar os direitos dos cidadãos”, afirma.

Notificação - Na última sexta-feira (3), a Prefeitura de Guarujá notificou extrajudicialmente, a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), pela falta de água que ocorre no Município. Desde o dia 31 de dezembro diversos bairros da Cidade, principalmente a região da Enseada vêm sofrendo com falhas no abastecimento.

O documento foi protocolado na tarde daquele mesmo dia pela prefeita da Cidade, Maria Antonieta de Brito e pelo Advogado Geral do Município, André Guerato. A notificação foi encaminhada à presidente da Sabesp, Dilma Pena e ainda ao superintendente regional da estatal, João César Queiroz Prado.

Maiores informações ou reclamações devem ser solicitadas na sede do Procon (Rua Washington, 719 no Centro), a população pode oficializar a reclamação sobre a falta de água, junto ao órgão ou ainda pelo telefone: 3355 1232/ 6648.