Novo terminal começa a operar no Porto de Santos

Localizado no Alemoa, à margem direita do porto, ocupa 490 mil m² e deve aumentar em 40% a capacidade de movimentação de contêineres.

Comentar
Compartilhar
29 NOV 201313h32

A BTP (Brasil Terminal Portuário) iniciou as operações em seu terminal nesta quinta-feira (28). Localizado no Alemoa, à margem direita do porto, ocupa 490 mil m² e deve aumentar em 40% a capacidade de movimentação de contêineres.

De acordo com o projeto, que resultou num investimento de R$2 bilhões, o terminal começa com operação de contêineres e, numa segunda etapa, granéis líquidos. A solenidade reuniu representantes dos governos federal, estadual e municipal, além de autoridades portuárias e instituições ligadas ao setor.

O prefeito Paulo Alexandre Barbosa ressaltou que o terminal trará desenvolvimento e instalações mais modernas. “Será competitivo e qualificado, alavancando ainda mais o porto”. Já o ministro dos Portos, Antônio Henrique da Silveira, destacou modernidade e o ambiente competitivo a ser gerado. “Será importante para a expansão do comércio exterior do Brasil”. A BTP é uma joint venture entre duas empresas estrangeiras TIL (Terminal Investment Limited) e APM Terminals.

De acordo com o projeto, que resultou num investimento de R$2 bilhões, o terminal começa com operação de contêineres e, numa segunda etapa, granéis líquidos.

“Usamos modernas técnicas, alta tecnologia, com valorização do quadro de colaboradores e normas rígidas de segurança, operando em condição de igualdade aos maiores e mais modernos terminais do mundo”, afirmou o diretor-presidente da BPT, Henry Robinson.

Recuperação ambiental
A área onde está o terminal era o antigo lixão da Alemoa, que por mais de 50 anos foi utilizada como descarte de resíduos do porto. A recuperação foi assumida pela BTP, que investiu R$ 257 milhões na remediação ambiental. Houve a remoção de 1,14 milhão de toneladas de solo contaminado.

Além dessa ação, foram realizadas também monitoramento da fauna e da flora locais, replantio da vegetação nativa, remoção dos animais silvestres, e preservação de 30 mil m² de manguezal da região. “Essa ação serve de exemplo para outros empresários”, disse o prefeito.

Fotos: Isabela Carrari