Mulher-Maravilha resgata DC com Gal Gadot, guerra e leveza tipicamente feminina

Dirigido pela norte-americana Patty Jenkins, e numa época quando o protagonismo da mulher em frentes diversas pauta discussões mundo afora, Mulher-Maravilha, o filme, é oportuno, ao oferecer, pelo entretenimento, a maior alegoria do empoderamento feminino

Comentar
Compartilhar
02 JUN 2017Por Bárbara Farias01h15
Mulher-Maravilha, com Gal Gadot, está em cartaz nos cinemasMulher-Maravilha, com Gal Gadot, está em cartaz nos cinemasFoto: Divulgação

A mais popular das heroínas dos quadrinhos da DC Comics, Mulher-Maravilha estreou nas telonas finalmente. O Cinema DL conferiu o longa-metragem na pré-estreia desta quarta-feira, dia 31 de maio, no Cine Roxy 5, no Gonzaga, em Santos. A estreia oficial ocorreu nesta quinta-feira, 1º de junho.

A bela israelense Gal Gadot, ex-militar do Exército de Israel e Miss Israel 2004, é quem personifica Diana Prince, a princesa das Amazonas, no cinema.

Dirigido por uma mulher, a norte-americana Patty Jenkins, e numa época quando o protagonismo da mulher em frentes diversas pauta muitas discussões mundo afora, Mulher-Maravilha, o filme, é oportuno, ao oferecer, pelo entretenimento, a maior alegoria do empoderamento feminino.

Ao mesmo tempo em que mostra a origem de Diana, que vive em uma ilha paradisíaca cuja população é só de mulheres, a produção pincela conceitos feministas em algumas ações e diálogos. Porém, tudo é tratado com leveza e humor.

A atriz Gal Gadot, a diretora Patty Jenkins e o ator Chris Pine no set de Mulher Maravilha (Divulgação)

Preparada para ser a maior guerreira das amazonas, Diana é levada à sua missão de combater o mal no mundo após salvar o piloto militar Steve Trevor, interpretado pelo ator norte-americano, Chris Pine, cujo avião cai no mar.

Embora seja um filme de ação, aventura e fantasia, a ação demora a acontecer em Mulher-Maravilha, pois o roteiro prioriza uma relação mais íntima e pessoal entre os protagonistas, levando o espectador a conhecer melhor a heroína amazona.

Mas não se trata de um filme feito somente para mulheres ou para fãs, Mulher-Maravilha é uma gostosa aventura para o público em geral.

A história é ambientada no período da Primeira Guerra Mundial, o que dá um peso à trama, e somada à mitologia grega e ao universo DC Comics, faz de Mulher-Maravilha um acerto.

O universo das amazonas reúne atrizes como Connie Nielsen, interpretando a Rainha Hipólita, mãe de Diana, e Robin Wright, como Antíope. Outros destaques do elenco feminino são Elena Anaya, como Doutora Veneno, e Lucy Davis, como Etta Candy.

Destacam-se ainda no elenco de Mulher-Maravilha, os atores David Thewlis, como Sir Patrick, e Danny Huston, como o general alemão Ludendorff.