Ministro apresenta propostas para reduzir problemas de acesso ao porto

Foram debatidos os planos para garantir o escoamento da safra agrícola até o Porto sem congestionamentos.

Comentar
Compartilhar
20 JAN 201410h27

O ministro dos Portos, Antônio Henrique Silveira, esteve na última quarta-feira (16) na cidade para debater os planos para garantir o escoamento da safra agrícola até o Porto sem congestionamentos. Silveira reuniu-se com prefeitos da Baixada Santista e representantes dos terminais portuários, na Codesp (Companhia Docas do Estado de São Paulo).

No encontro, o ministro apresentou nove propostas de empresas interessadas em implantar pátios reguladores de caminhões no planalto paulista, que visam a operações dos bolsões de estacionamento a partir de fevereiro.

Também participaram da reunião de trabalho equipes técnicas da SEP (Secretaria de Portos), da Antaq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários), da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), da Casa Civil e do Ministério dos Transportes.

“Esperamos que as ideias apresentadas possam ser concretizadas. No âmbito municipal, daremos todo o apoio para que a população não sofra os transtornos por conta da safra de grãos”, comentou o prefeito Paulo Alexandre Barbosa.

Foram apresentadas nove propostas de empresas interessadas em implantar pátios reguladores de caminhões no planalto paulista, que visam a operações dos bolsões de estacionamento a partir de fevereiro

Também estiveram na pauta do Ministro dos Portos as ações do Governo Federal no acesso à cidade. Em outubro do ano passado, a prefeitura, os governos federal e estadual, e a Codesp assinaram em Brasília (DF) um convênio para garantir as intervenções que eliminarão gargalos no trânsito e melhorarão o acesso à entrada da cidade.

O documento garante o custeio do projeto e a execução dos trabalhos, estimados em R$ 700 milhões, verba que será dividida pelas três esferas.

O prefeito Paulo Alexandre Barbosa pediu agilidade à União e afirmou que o município iniciará os trabalhos a partir desse ano. “Santos fará a sua parte. Ainda esse ano vamos fazer o licenciamento ambiental e iremos publicar a licitação, para que a obra tenha início em 2015. É importante que o Governo Federal possa a fazer a sua parte, que inclusive diz respeito ao acesso ao porto”.

Foto: Raimundo Rosa