Las Vegas, Nevada

Muito além do pecado

Comentar
Compartilhar
28 ABR 201516h01

A menos que você pretenda visitar o Grand Canyon, que fica a 450km de Las Vegas, o aluguel de um carro pode ser dispensado. A grande fatia de diversão da cidade se concentra em uma única avenida. É justamente nela, conhecida como Strip, onde tudo acontece: casas noturnas, restaurantes conceituados e capelas para casamentos de última hora. É possível fazer tudo a pé (com cautela no verão, porque a temperatura passa facilmente a casa dos 40º e o clima é seco, por conta do deserto).

Pensando nisso, a “Cidade do Pecado” tem um prático sistema de transporte público no qual se destaca o “The Deuce”, um ônibus de dois andares com ar condicionado que faz paradas estratégicas em cada hotel da Strip a cada 15 minutos. Além de limpo e seguro, o Deuce também é econômico, pois oferece um passe ilimitado de 24 horas. Tarifas detalhadas podem ser encontradas no site da Comissão Regional de Transporte do Sul de Nevada: www.rtcsouthernnevada.com/transit/fares_passes.cfm

Uma outra maneira de se locomover entre os cassinos é utilizando o Monorail, um pequeno trem que tem estações nos hotéis da Strip. www.lvmonorail.com

Las Vegas: Muito além do pecado

Como chegar

A melhor pedida é alugar um carro no próprio aeroporto.

Aeroportos

O McCarran International Airport está localizado a poucos minutos de carro da Las Vegas Boulevard, sendo possível avistar alguns dos grandes hotéis da Strip de dentro do avião na hora do pouso. Táxis e serviços de shuttle e limusines estão disponíveis no local, além de agências de aluguel de carro.

Rodovias

A principal rodovia que liga Las Vegas a outras partes dos EUA é a I-15, que passa pelos estados de Montana, Idaho, Utah e pelo sul da Califórnia. A viagem de carro entre Los Angeles e Las Vegas é bem popular entre os turistas. O trajeto que corta o deserto até a cidade tem cerca de 450 quilômetros. Uma boa dica para o motorista é encher o tanque do automóvel antes de sair da Califórnia porque postos de gasolina são difíceis de encontrar ao longo da viagem. Uma peculiaridade americana é que nos postos raramente há frentistas, então os próprios motoristas têm de encher o tanque do carro.

Serviços: Tam Viagens / Santos