Em Santa Cruz dos Navegantes, o primeiro núcleo da Baixada

O Educafro, curso pré-vestibular comunitário voltado à afrodescentes e pessoas de baixa renda, chegou a Baixada Santista em 2000

Comentar
Compartilhar
28 AGO 201417h34

O Educafro, curso pré-vestibular comunitário voltado à afrodescentes e pessoas de baixa renda, chegou a Baixada Santista em 2000. As amigas Valdenir Barreto e Vera Oscar foram as responsáveis em trazer o projeto para a região. A ideia surgiu em uma reunião do Fórum de Mulheres de Santos.

“Estava folheando uma agenda quando vi algo sobre o Educafro. Me interessei, e fui buscar informações. A Vera também já tinha visto algo em uma revista”, conta Valdenir Barreto. A proposta de implantar o projeto na Baixada tomou corpo e contou com apoio de outras pessoas. Não demorou muito o primeiro núcleo do curso foi formado na comunidade de Santa Cruz dos Navegantes, também conhecida como ‘Pouca Farinha’, em Guarujá.

Divulgação/Arquivo pessoal e Luiz Torres

O Educafro oferece aulas de preparação para o vestibular e concusos públicos. As disciplinas são ministradas por professores voluntários. Ao longo desses 14 anos, o projeto já ajudou muitas pessoas, principalmente jovens, da Baixada Santista, a realizarem o sonho de entrar em uma universidade.

“No começo a tarefa era fazer com que os nossos alunos conseguissem entrar em uma universidade pública. Esse desejo ainda continua, mas com a chegada do Prouni aumentou também o número daqueles que conseguem entrar em uma instituição privada”, ressalta Valdenir.

‘Valdoca’, ou dona ‘Valdecafro’, como é chamada carinhosamente por alunos e voluntários do projeto, destaca a história de Jorge Pinheiro, o ex-aluno, que atualmente é um dos coordenadores do Educafro na região.



Divulgação/Arquivo pessoal e Luiz TorresO ex-morador da favela México 70, em São Vicente, se formou em Economia e é servidor público estadual. “O Jorginho é um exemplo de superação”, disse.

A coordenadora também ressalta os alunos do projeto que foram para Cuba cursar Medicina. O Educafro mantém convênio com o governo cubano para a realização de intercâmbio. “O Julio, que era do núcleo Morrinhos, em Guarujá, voltará em breve já formado. No mês passado aconteceu a formatura de outra aluna que chegará ao Brasil até o final da semana que vem”, conta toda orgulhosa.

Projeto
 
O Educafro nasceu em 1993, no município de São João do Meriti, no Rio de Janeiro. Em 1997, as atividades do projeto chegaram a São Paulo.
Por meio dos núcleos pré-vestibulares comunitários, o Educafro tem o objetivo de contribuir com o fim da exclusão de afrodescendentes e carentes nas universidades públicas, e também pela ampliação do número de bolsistas nas universidades particulares.
O projeto também mantém convênio com instituições privadas, possibilitando aos alunos descontos e bolsas integrais em cursos de graduação e pós-graduação.