Eliseu Padilha defende ministro interino do Planejamento

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse hoje (24) que o governo ainda não pensa em um nome para substituir o ex-ministro do Planejamento, Romero Jucá

Comentar
Compartilhar
24 MAI 2016Por Agência Brasil19h10
Para Eliseu Padilha, Romero Jucá dará importante contribuição ao governo no SenadoPara Eliseu Padilha, Romero Jucá dará importante contribuição ao governo no SenadoFoto: Agência Brasil

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse hoje (24) que o governo ainda não pensa em um nome para substituir o ex-ministro do Planejamento, Romero Jucá, que deixou o cargo nesta terça-feira. Segundo Padilha, o ministro interino do Ministério do Planejamento, Dyogo Oliveira, permanecerá à frente da pasta até que Temer decida pelo retorno de Jucá, "se for o caso".

“Não se pensa em nenhum nome a não ser o do ministro que agora está no cargo, que é o Dyogo”, disse Padilha. “Aqui está o ministro interino. Ele cumprirá o papel até o momento em que o Temer [presidente interino da República, Michel Teme] decidir trazer de volta o Jucá, ser for o caso”.

Ao ser questionado sobre o fato de Oliveira ter sido citado na Operação Zelotes, Padilha afirmou que não há pedido de investigação ou inquérito contra ele.

“A citação tem relevância quando ela é convertida em inquérito. No caso, não existe inquérito nenhum. Não existe, que se saiba, nenhuma iniciativa de parte do Ministério Público solicitando que Dyogo venha a ser investigado. Até agora não se tem nenhum desconforto. Conheço a carreira profissional do Dyogo”, acrescentou o ministro.

A exoneração de Romero Jucá foi publicada na edição de hoje do Diário Oficial da União. Ontem (23), o jornal Folha de S.Paulo publicou reportagem informando que, em conversas gravadas em março, Romero Jucá teria sugerido ao ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, um pacto para impedir o avanço da Operação Lava Jato sobre o PMDB, partido do ministro.

Após a repercussão da matéria, Jucá anunciou que iria se licenciar do cargo até o Ministério Público Federal se manifestar sobre as denúncias contra ele.

Sobre o senador Romero Jucá (PMDB-RR), o ministro Eliseu Padilha informou que, ao reassumir o mandato de parlamentar, ele dará importante contribuição ao governo no Senado. “O governo ganha no Senado aquele que tem se consagrado como relator-geral da República. Qualquer tema que seja complexo acaba sendo relatado por ele”, concluiu Padilha.